MENU

Clique aqui e veja as últimas notícias!

CASO PASSIONAL

Uma de 1,6 mil vítimas de violência doméstica na Capital, florista é baleada por ex-namorado

Após crime ele tentou tirar a própria vida
18/01/2020 11:33 - FÁBIO ORUÊ


 

Sendo uma das 1.679 vítimas de violência doméstica em Campo Grande, uma florista de 39 anos foi baleada pelo ex-namorado ao chegar para trabalhar, na manhã deste sábado, no bairro Carandá Bosque, em Campo Grande. Após dar três tiros na mulher, ele ainda tentou tirar a própria vida. Ambos estão vivos. 

Segundo informações repassadas por testemunhas, que são próximas à vítima e não quiseram se identificar, ela havia terminado com o homem, que tem 57 anos, há pouco tempo e ele não estava aceitando a situação, o que teria motivado o crime. Anteriormente, ela já teria sido vítima de violência doméstica praticada pelo autor.  

De acordo com o que relatam funcionários da empresa de flores que a moça trabalha, por volta de 8h30 ela estava chegando para trabalhar e ao descer de seu carro, um GM Corsa Sedan, ele estava descendo, a pé, a Rua Vitório Zeola. Neste momento, um funcionário estava atravessando a rua e viu a arma, que seria um revólver calibre .38, na mão do homem. Por isso, teria colocado os outros colaboradores dentro de uma Van para sair do local.

O ex-namorado atingiu a vítima com um tiro de raspão na clavícula, um no ombro e um no braço e atirou contra a própria cabeça. Ambos foram resgatados pelo Corpo de Bombeiros e Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e encaminhados para a Santa Casa. 

Segundo a assessoria do hospital, ela passa por cirurgia e seu estado é instável. Já o homem está “acordado e agitado” e com ferimento de arma de fogo na região do ouvido, sendo avaliado pelo setor de tomografia. 

Se o crime de feminicídio fosse consumado, a florista seria a primeira vítima de feminicídio de Campo Grande em 2020 - e terceiro em Mato Grosso do Sul -, já que não há registro deste crime na cidade. 

Já em 2019, conforme mostram dados da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança (Sejusp), foram 30 feminicídios em todo o Mato Grosso do Sul, sendo cinco na Capital. Já os registro de violência doméstica somam 5.158 em MS e 27% - exatos 1.628 - dos casos são em Campo Grande. Neste ano foram registrados, até ontem (17), 51 casos.