Clique aqui e veja as últimas notícias!

DISCUSSÃO AVANÇA

Estado assina carta de intenção para importar gás e ureia da Bolívia

Governador está no país vizinho em reunião com presidente boliviano
05/05/2017 16:16 - RODOLFO CÉSAR


 

O governo boliviano e os estados de Mato Grosso do Sul e Mato Grosso assinaram hoje carta de intenção para negociar futuramente a compra e ureia e gás natural. O negócio ainda depende de ajustes e só seria definido a partir de 2019.

O presidente Evo Morales, o ministro de hidrocarbonetos, semelhante ao de Minas e Energia brasileiro, Luis Alberto Sánchez, e os governadores Reinaldo Azambuja (PSDB) e Pedro Taques (PSDB), de Mato Grosso, participam da reunião que acontece em Santa Cruz de la Sierra.

O mesmo tipo de acordo pode ser estendido para Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul.

A negociação só pode avançar daqui a dois anos porque é quando se encerra o contrato de fornecimento de gás natural entre a Petrobras e a estatal boliviana, YPFB (Yacimientos Petrolíferos Fiscales Bolivianos).

"Esses cinco estados têm interesse em comprar gás boliviano a partir de 2019, quando conclui o contrato que temos com Brasil. Então é uma grande oportunidade de negócio, um novo nicho de mercado, com preços menores que os atuais", explicou o ministro Sánchez ao jornal El Mundo.

A Bolívia também precisa preparar-se para atender a possível nova demanda. "Esses entendimentos nos obrigam a acelerar a exploração para garantir mais recursos de gás", observou o presidente Morales ao El Mundo.

Azambuja comemorou a sinalização positiva de compra e venda. "É muito importante essa tratativa e a carta de entendimento para que possamos avançar na política de integração entre os estados", comentou. Ele não mencionou na Bolívia, mas a tentativa de avançar esse mercado também acontece porque Mato Grosso do Sul sofreu corte no repasse de recursos da Petrobras, por conta da diminuição na compra dos combustíveis.

A criação de outra via, sem depender da estatal brasileira, pode permitir outros ganhos ou mesmo servir para melhorar uma possível futura negociação com a Petrobras.

Os integrantes da reunião não descartam chamar a estatal brasileira para participa do acordo. Ao jornal El Mundo, Azambuja afirmou que a MSGás e as empresas do setor em Mato Grosso, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul têm a intenção de se tornarem sócias da YPFB.

MAIS ENCONTROS

A reunião de hoje também serviu para ser feito convite pessoalmente ao presidente Evo Morales para que participe de encontro no dia 22 de maio em Florianópolis (SC).

Esse evento vai contar com demais governadores e empresas de gás para analisar a importância na importação do produto boliviano para uso na indústria agrícola.

Nesse sentido, Mato Grosso é um dos principais estados interessados no negócio para a compra de ureia da Bolívia. O produto entraria no estado pela faixa de fronteira, que tem as cidades de San Matías e San Ignacio como principais pontos de entrada para o Brasil.

Técnicos e autoridades bolivianas e brasileiras também estão presentes nessa reunião em Santa Cruz de la Sierra para detalhar necessidades que precisam ser atendidas para ocorrer, de fato, o convênio.