Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CURIOSIDADE

Após 19 anos, sexta-feira 13 <br>terá Lua cheia

Junção mística só voltará a ocorrer em 2049
13/09/2019 09:17 - GLAUCEA VACCARI, COM AGÊNCIAS


Hoje é a primeira sexta-feira 13 do ano, o que para os supersticiosos é um dia de azar. Desta vez a data terá no céu uma lua cheia, também conhecida como “lua da colheita”, fenômenos que não coincidem desde o ano 2000. A junção mística que não ocorre há 19 anos só voltará a ocorrer em agosto de 2049.

De acordo com o folclore, a lua da colheita é a lua cheia mais próxima do equinócio de outono, que acontece dia 23 de setembro para o hemisfério Norte. Ela tem esse nome porque, durante a época da colheita, às vezes os fazendeiros precisam trabalhar até mais tarde, e aproveitam a luz da lua que ilumina os campos.

Segundo a NASA, geralmente a lua cheia nasce uma média de 50 minutos mais tarde a cada noite. Mas, nas noites da lua da colheita, o satélite aparece mais ou menos no mesmo horário.

Entretanto, apesar de estar em sua fase cheia, a lua desta ' sexta-feira 13 ' será pequena. Isto porque ela estará em seu apogeu, que é o ponto da órbita em que o satélite se encontra mais distante da Terra, ficando cerca de 14% menor.

SUPERSTIÇÃO

Muitos infortúnios são associados a sexta-feira 13 e os supersticiosos evitam algumas atividades, como passar embaixo de escadas, quebras espelhos ou até mesmo cruzar com gatos pretos.

Apesar dos azares associados a essa data, muitos a interpretam com um significado completamente oposto, o de sorte. 

De acordo com os princípios da numerologia, o treze – por meio da somatória de seus dígitos – é um numeral próximo ao quatro, compreendido como um forte indício de boa sorte. Além disso, indianos, estadunidenses e mexicanos associam o número treze à felicidade e ao futuro próspero.

Felpuda


Com trabalho suspenso, por causa da Covid-19, investigação parou sem ter começado e, agora, dois dos cabeças do grupo de trabalho estão “chovendo no molhado”. Assim, para continuar, digamos, em evidência, vêm divulgando sobre a “firmeza” de ambos em “dar continuidade”, tão logo acabe a pandemia que, assim como os resultados dos trabalhos, são incógnitas que só. Portanto, melhor seria aguardar o desenrolar dos acontecimentos para sair “cantando de galo”.