Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PERFIL

Caminho virtual

Triz Pariz foi descoberta na Internet para viver a doce Lili vibra, de “Éramos Seis”
28/01/2020 12:55 - CAROLINE BORGES/TV Press


 

Triz Pariz teve a internet como uma forte aliada de sua carreira. A atriz de 18 anos começou a chamar a atenção no Instagram, rede social em que reúne mais de 500 mil seguidores. Apesar de estar habituada ao universo do teatro desde os seis anos, ela viu a tevê surgir em seu caminho de forma concreta após seu agente tropeçar em seu perfil nas redes sociais. “Foi ele quem me apresentou ao pessoal da Globo. Fiz meu cadastro e me chamaram para um ‘workshop’ de ‘Malhação’, mas eu ainda era menor de idade. Depois, surgiu a oportunidade para ‘Éramos Seis’. Fiz uns três testes”, explica Triz, que vive a doce Lili na trama das seis. “Quando cheguei na última etapa, já fiz teste com figurino e caracterização. Até começaram a me comparar com as atrizes que fariam a Lili na infância. Foi então que percebi que estava ficando sério”, completa.

Natural de São Paulo, Triz é o nome artístico de Beatriz Parizotto. Sem qualquer interferência de numerologia, a atriz decidiu encurtar seu nome para seguir a carreira artística. “Meus amigos sempre me chamaram de Triz. Como já tinha encurtado o primeiro nome, decidi cortar o segundo também. Amo meu nome e meu sobrenome. Um dia, mexendo nas redes sociais fui pensando em alternativas e surgiu. Ficou chique, não é? (risos)”, brinca.

Na história escrita por Angela Chaves, Lili é filha de Genu e Virgulino, interpretados por Kelzy Ecard e Kiko Mascarenhas. A jovem é apaixonada desde criança por Julinho, papel de André Luiz Frambach. Porém, não percebe que é enrolada pelo filho de Lola, de Gloria Pires. Além de manter um relacionamento com Lili, o rapaz também corteja Soraia, vivida por Rayssa Bratillieri. “A Lili vive esse triângulo com o Julinho e a Soraia. Mas o errado é o Julinho. Inclusive, muita gente acha que a Soraia e a Lili deveriam se unir e dar um ‘pé na bunda’ do Julinho (risos). O Julinho é manipulador e tenta enganar a Lili. Apesar de ela ter diversas desconfianças, sempre acha que são fantasias da cabeça dela”, explica. Nos últimos capítulos, porém, Lili ganhou um novo admirador. “Começou um leve clima da Lili com o Marcelo (Guilherme Ferraz), e quem sabe? Não posso dar spoiler”, despista.

Triz Pariz interpreta Lili em "Éramos Seis"

Vivendo uma personagem de época, Triz mergulhou no contexto histórico e social da década de 1930 e 1940. Durante a pré-produção, a atriz, ao lado do elenco, participou de algumas aulas de dança. Quando jovem, ela chegou a fazer aulas de dança do ventre e jazz. Porém, de acordo com Triz, a dança não é a melhor de suas habilidades. “Quando eu era menor, meus pais me colocaram para fazer várias aulas. Acho que era para não ficar ociosa. Eu amo dançar, mas danço muito mal (risos). Tenho zero técnica. Mas foi uma experiência divertida. Adorei aprender mais sobre foxtrote”, vibra. A versão do romance de Maria José Dupret está em sua quinta adaptação para a tevê. Triz afirma que chegou a ver algumas das cenas da versão de 1994 do SBT, quando Flávia Monteiro viveu a personagem. “Busquei algumas coisas das outras versões e também li o livro. Mas não quis me apegar porque cada projeto tem a sua essência. A Lili, inclusive, está mais espevitada nessa versão”, afirma.

“Éramos Seis” - Globo - de segunda a sábado, às 17h20

Voo solo
Por conta das gravações de “Éramos Seis”, Triz tem enfrentado uma cansativa ponte-aérea entre o Rio de Janeiro e São Paulo. Pela primeira vez, a atriz está morando sozinha em uma nova cidade. “Estou gostando bastante da experiência. Tenho minhas raízes, mas não sou de me apegar. O Rio é incrível. Tenho meu espaço e fico mais tranquila para estudar”, explica.

Morando em um hotel na Cidade Maravilhosa, Triz confessa que sente falta de alguns itens de sua casa em São Paulo. A atriz, que tem a pintura como um hobby, tem exercitado pouco esse seu outro lado artístico desde que se mudou para o Rio. “Não tenho como levar meus materiais de pintura para o Rio. Adoro pintar, é uma forma de expressão. Tenho desenhando como dá. Às vezes, faço alguns desenhos com caneta esferográfica, por exemplo”, ressalta.

Instantâneas
# Triz chegou a integrar o elenco do “remake” de “Carrossel”, do SBT.

# A atriz tem o desejo de criar uma ONG para resgatar animais. “Quero ajudar cachorros de rua. Para abrir uma ONG é preciso muito dinheiro. Não é algo que renda lucro. Comecei a investir mais meu dinheiro no ano passado”, explica.

# Triz chega a rever suas cenas oito vezes. “Sou muito autocrítica. Reparo em tudo. Vejo a aparência, dicção, postura”, afirma.

# Em São Paulo, ela tem dois cães, Murphy e Atena.

Felpuda


A lista do Tribunal de Contas de MS, com nomes de gestores que tiveram reprovados os balanços financeiros de quando exerceram cargos públicos, está deixando muitos candidatos de cabeça quente.  Conforme previsto pelo Diálogo, adversários estão se utilizando de tais dados para cobrar, principalmente nas redes sociais, deixando alguns gestores na maior saia justa e tendo que se explicar. O eleitor, por enquanto, só observa. E dê-lhe!