Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

HERMANOS

Cinema argentino é destaque de mostra em Campo Grande

Evento tem entrada gratuita e vai até sexta-feira
02/11/2019 17:15 - ADRIEL MATTOS


 

Começa na próxima terça-feira (5) em Campo Grande a Mostra de Cinema Argentino. O evento, já tradicional, acontece até sexta-feira (8) no Museu da Imagem e do Som (MIS), com entrada gratuita.

Os filmes serão exibidos sempre às 19 horas, e o  público poderá apreciar um pouco da multiplicidade das expressões do cinema argentino, que combina roteiros baratos, bem escritos e bem interpretados, uma fórmula bem-sucedida. O resultado é um dos cinemas mais prolíficos da América do Sul e que se destaca também no cenário mundial por sua produção constante e de boa qualidade.

O Museu da Imagem e do Som fica no 3º andar do Memorial da Cultura e Cidadania Apolônio de Carvalho, localizado na avenida Fernando Corrêa da Costa, 559. Outras informações podem ser obtidas pelo telefone 3316-9178 ou pelo e-mail: mis.de.ms@gmail.com.

Confira a agenda:

Dia 5, terça-feira Buscando a Tita (2016)

Direção: Teresa Constantini. Duração: 58 minutos. Classificação: 12 anos

Sinopse: O filme narra a história de uma singular cantora e atriz argentina que encarnou o tango humorístico com muita expressividade. Numa época em que os cantores masculinos brilhavam em toda a mídia, ela impôs sua presença e criou um estilo único e pessoal. “Buscando a Tita” rende homenagem a esse ícone popular, a Buenos Aires e seu tango, através do testemunho de diversas personalidades da cultura e do ambiente artístico.

Dia 6, quarta-feira Abzurdah (2015)

Direção: Daniela Goggi. Duração: 90 minutos. Classificação: 12 anos

Sinopse: Baseado no romance autobiográfico, Cielo Latini é uma adolescente da década de 1990 que encontra na internet uma válvula de escape para as pressões escolares. Entrando em salas de bate-papo, ela decide conhecer pessoalmente um homem, que mais tarde descobre se chamar Alejo e ser 10 anos mais velho que ela. Cielo se apaixona, mas Alejo logo se desinteressa por ela.

Dia 7, quinta-feiraEl Francesito (2016)

Direção: Miguel Kohan. Duração: 1h25min. Classificação: 12 anos

Sinopse: São muitas as pesquisas que mostram que a Argentina é um dos países com mais psicanalistas no mundo. Neste documentário, Kohan investiga, como se fosse Sherlock Holmes, de que forma a obra de Enrique Pichon-Rivière provocou tal fenômeno. Não haveria tantos fãs de Woody Allen na Argentina se não fosse por Enrique Pichon-Rivière. O Francesinho, como seus amigos o chamavam, criou as raízes da psicanálise no país para que elas crescessem como árvores gigantes que em lugar de frutos, oferecem divãs.

Dia 8, sexta-feira – Venimos de muy lejos (2012)

Direção: Ricardo Piterbarg. Duração: 1h45min. Classificação: 12 anos

Sinopse: “Viemos de longe, o filme” documenta a teatralização da chegada à Argentina dos imigrantes no início do século XX, que o grupo de teatro comunitário Catalinas Sur representa a partir do ano de 1990, recriando a vida de filhos e netos daqueles imigrantes que se juntaram na sua diversidade, com o mesmo espírito empreendedor e solidário, para construir um bairro, uma escola, um campo de futebol, uma praça, um grupo de teatro e, hoje, a realização deste filme. Resgatar os valores de determinação e solidariedade que desenvolveram aqueles imigrantes, integrando suas diferenças. E transmitir esses valores para as novas gerações, com a convicção de que a melhor forma de recuperá-los é continuar construindo, com essa determinação, essa solidariedade, e nesta diversidade.

Felpuda


Com trabalho suspenso, por causa da Covid-19, investigação parou sem ter começado e, agora, dois dos cabeças do grupo de trabalho estão “chovendo no molhado”. Assim, para continuar, digamos, em evidência, vêm divulgando sobre a “firmeza” de ambos em “dar continuidade”, tão logo acabe a pandemia que, assim como os resultados dos trabalhos, são incógnitas que só. Portanto, melhor seria aguardar o desenrolar dos acontecimentos para sair “cantando de galo”.