Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

TURISMO

Visto eletrônico para o Japão vai facilitar o turismo para Olimpíadas de Tóquio

Visto eletrônico para o Japão vai facilitar o turismo para Olimpíadas de Tóquio
11/09/2019 12:01 - DAS AGÊNCIAS


Vai ficar mais fácil tirar o visto para o Japão! O governo japonês vai lançar um sistema de visto eletrônico (eVisa) a partir de abril de 2020. A medida pretende facilitar o turismo no país durante as Olimpíadas de Tokyo, que acontecerão entre os dias 24 de julho a 9 de agosto de 2020.

O governo ainda não publicou a lista de nacionalidades elegíveis para o visto eletrônico. Por enquanto a novidade está disponível apenas para turistas da China, o primeiro país autorizado a obter o visto online para o Japão.

A medida faz parte de um ambicioso plano do país, que pretende receber 60 milhões de visitantes estrangeiros até 2030. Para isso, o Japão vem ampliando o número de companhias aéreas low cost, fortalecendo o controle de imigração e planejando outros tipos de visto.

Visto do Japão para brasileiros

A exigência de visto para o Japão é motivo de reclamação constante de muitos turistas brasileiros. Vale mencionar que população de descendência japonesa no Brasil é estimada em 1,5 milhão de pessoas — a maior comunidade de japoneses fora do Japão. Desde março deste ano, turistas japoneses são isentos de visto para o Brasil.

Até o presente momento, 68 países são isentos de visto para o Japão, entre eles Argentina, México, El Salvador, Guatemala e Honduras. Mesmo que a isenção seja temporária e válida apenas para o período das Olimpíadas, a expectativa é que o Brasil seja contemplado. Os turistas brasileiros agradecem.

* Com informações do portal Melhores Destinos 

Felpuda


A lista do Tribunal de Contas de MS, com nomes de gestores que tiveram reprovados os balanços financeiros de quando exerceram cargos públicos, está deixando muitos candidatos de cabeça quente.  Conforme previsto pelo Diálogo, adversários estão se utilizando de tais dados para cobrar, principalmente nas redes sociais, deixando alguns gestores na maior saia justa e tendo que se explicar. O eleitor, por enquanto, só observa. E dê-lhe!