GIBA UM

“É uma desumanidade, uma grosseria que não merece nem comentário”

Do médico Drauzio Varella sobre a declaração de Jair Bolsonaro sobre pessoas portadoras de HIV
12/02/2020 06:00 - Giba Um


“É uma desumanidade, uma grosseria que não merece nem  comentário”

do médico DRAUZIO VARELLA // no Roda Viva sobre a declaração de Jair Bolsonaro sobre pessoas portadoras de HIV.

 

Dois milhões de brasileiros buscam diariamente na internet sites de concursos públicos. 185 órgãos estão com inscrições abertas quase 14 mil vagas para todos os níveis de escolaridade.

Mais: nesta semana, 12 órgãos abriram inscrições para quase 850 vagas. Em Vargem Grande do Sul, em São Paulo, os salários chegam a R$ 11,6 mil, só para dar melhor ideia da farra.  

 
 

Tapete vermelho

Na noite da 92ª edição do Oscar onde o grande destaque foi filme Parasita (uma produção sul-coreana que levou quatro estatuetas: de melhor filme (primeiro filme não falada em língua inglesa a vencer na categoria), melhor diretor (Bong Joon Ho), melhor roteiro original e melhor filme internacional), as mulheres também desfilaram elegância no tapete vermelho. Entre premiados, apresentadores e convidadas estavam, da esquerda para direita, Jane Fonda, que entregou prêmio de melhor filme, repetindo vestido de Elie Saab, que tinha usado em Cannes em 2014; Renée Zellweger (melhor atriz, como esperado), que diferente dos outros prêmios usou um vestido Armando Privé de um ombro só; Scarlett Johansson (que concorria em duas categorias, melhor atriz e melhor atriz coadjuvante e não levou nada) usou um Oscar de La Renta; Charlize Theron (concorria a melhor atriz), num Dior; e Laura Dern (melhor atriz coadjuvante), também usava Armani Privé.

Mais Ciofs

Sérgio Moro vai acelerar a instalação, ainda este ano, de mais dois Centros Integrados de Operações de Fronteira (Ciofs), a exemplo da unidade de Foz do Iguaçu, inaugurada em dezembro, Mato Grosso, divisa com Bolívia e Roraima, limites com Venezuela e Colômbia deverão ser os locais escolhidos. São chamadas de “áreas quentes” da fronteira brasileira porque concentram as principais rotas de entradas de drogas e armas do país. Moro quer dar uma dimensão maior aos Ciofs, centros não apenas de operação, mas, sobretudo, de inteligência, que integram dados da Polícia Federal, Receita Federal, Abin e Unidade de Inteligência Financeira (antigo Coaf). O objetivo é transformá-lo em instâncias multilaterais de combate ao crime organizado. Ministros da Justiça de países vizinhos serão convidados a ocupar cadeiras permanentes nesses centros.

 
 

Armas íntimas

Exibir, em menor ou maior dimensão, áreas mais íntimas, hoje transformaram-se em armas femininas de bom calibre para promoção de novas atrações do showbiz. À esquerda, a cantora Roberta Sá fica nua para as lentes de Bob Wolfenson e avisa que está saindo seu novo algum chamado Giro, só com onze músicas inéditas de Gilberto Gil. À direita, a sempre esquentada e inspiradora Luana Piovani realiza “um sonho de quinze anos”: posar seminua, com dreads e parte do derrière à mostra (e desmentindo uso do photoshop). E também avisa que a segunda temporada de Luana é de lua no canal E! está chegando.

Outros tempos

Sérgio Cabral e Adriana Ancelmo permanecem casados e ela voltou a conseguir permissão para visitá-lo no Bangu 8 – e desmente essa história de “namorado novo”. Cabral sempre foi apaixonado por ela (teve um período de separação quando se encantou com uma pessoa ligada a Fernando Cavendish). Chamava-a de “minha riqueza” ou simplesmente “riqueza” e aguentava crises de depressão dela, que vivia a base de remédios para emagrecer.

 
 

In – Instagram

Out – Snapchat

 

Com Adriana

Depois da delação ter sido homologada pelo STF, o ex-governador Sérgio Cabral, condenado a mais de 100 anos de prisão, confirmou lavagem de dinheiro por meio de escritório de sua mulher e declara que ela sabia do seu “caixa paralelo”. A defesa da ex-primeira-dama dá um salto: “Esse depoimento não pode ser levado a sério”. Todos os envolvidos nesse processo acham que Cabral não poupará Adriana em lance algum, especialmente porque ela agora namora um homem casado, ex-amigo do próprio ex-governador.

Ano de eleições

Quando soube, às 6 horas da manhã, do estado de calamidade em que se encontrava São Paulo, o prefeito Bruno Covas interrompeu nova etapa de seu tratamento, montou um Comitê da Crise e passou a acompanhar, passo a passo, todos os locais atingidos pela tragédia das enchentes que proliferaram na cidade – e em municípios vizinhos. Reapareceu 18 quilos mais magro e disse que tudo poderia ser pior se sua gestão não tivesse tomado providências antienchentes. Não é assim: em  2015 e 2019, a prefeitura deixou de gastar R$ 2,7 bilhões em obras de controle de cheias, envolvendo os mandatos de Fernando Haddad, João Doria e Bruno Covas.

RESISTÊNCIA

Uma frente formada por deputados do PSL que poderão se transferir para o Aliança pelo Brasil (entre outros, Carla Zambelli, Luiz Philippe de Orleans e Bragança, Guida Peixoto e  a advogada Karina Kufa, tesoureira do novo partido) estão em campo para impedir que Paulo Skaf seja o chefe da nova agremiação em São Paulo. Muitos já ameaçam não ingressar no Aliança pelo Brasil se Skaf for o comandante da sigla – e se for o candidato à sucessão de João Doria.

Não tem gente

A Dataprev entregou ao INSS um novo sistema com o cruzamento de diferentes bases dos beneficiários do BPC (Benefício de Prestação Continuada, pessoas com mais de 65 anos, cidadãos em situação de miserabilidade, favorecidos pelo Bolsa Família, deficientes físicos e outros. Só que o INSS não tem gente suficiente para atender os beneficiários, fazer prova de vida e proceder o recadastramento. Nem os seis mil militares da reserva convocados serão suficientes.

DE OLHO

Em 2019, o governo suspendeu ou cancelou em definitivo mais de 260 mil aposentadorias irregulares, poupando R$ 5 bilhões. Provas de vida em larga escala não foram feitas. Hoje, há apenas uma espécie de pescaria de fraudes em determinadas regiões. Alguns casos são escandalosos. Em dezembro, o INSS identificou quatro mil servidores públicos, estaduais e municipais, que recebiam indevidamente o benefício.

Nomeação

Mesmo sem ter assumido a Secretária da Cultura, Regina Duarte pediu a demissão da pastora Jane Silva que ocupava o cargo de número dois da Secretaria. Jane, antes da demissão, estava pedindo a nomeação de Sérgio Nascimento de Camargo para o cargo de assessor da secretária. Não deu tempo. Para quem não se lembra, Camargo ocupou a presidência da Fundação Cultura do Palmares  por poucos dias no final do ano passado. Sua nomeação foi suspensa após várias declarações polêmicas.

Comemoração

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, comemorou em seu Twitter o número de 2 milhões de seguidores. Já no Instagram alcançou marca de 1 milhão de seguidores e colocou um desenho com uma frase de João Paulo II. “Não se faz a paz sem justiça, não se faz justiça sem perdão, não há perdão sem amor”.  Já sua  mulher, Rosângela Moro, também usou seu Instagram onde colocou uma foto junto com o marido e a frase: “Onde o amor impera, não há desejo de poder; e onde o poder predomina, há falta de amor. Um é a sombra do outro.”

EM HOLLYWOOD

Carlos Ghosn, ex-presidente da Nissan que protagonizou uma fuga cinematográfica do Japão, pode virar personagem de filme. Para negociar cachês e detalhes do roteiro, já contratou um agente: é Michel Ortz, ex-presidente da Walt Disney e fundador da Creative Artists Agency. Ainda em prisão domiciliar em Tóquio, Ghosn conversou com John Lesier, produtor de Hollywood que já levou um Oscar pelo filme Birdman, em 2014.

MISTURA FINA

  • ABRAHAM Weintraub, hoje quase ex-ministro da Educação, foi alijado das tratativas Planalto-Congresso para a prorrogação ou não do Fundeb, responsável por 60% dos investimentos nas escolas públicas. É um sinal e tanto.
  • A MINISTRA da Agricultura, Tereza Cristina, vai receber em março uma comitiva de empresários indianos do agronegócio. É mais um gesto de maior proximidade nas relações comerciais entre os dois países. A própria ministra deixa escapar sua impaciência: “Por ora, aliás, só gestos”.
  • O DEPUTADO federal Eduardo Bolsonaro (ainda no PSL-SP) está acusando sua ex-colega Joice Hasselmann (PSL-SP), que agora é uma espécie de nova inimiga de espalhar fake news através de uma “milícia joiciana” contra ele, sua família e aliados. Detalhe a deputada fez a mesma denúncia contra o Eduardo e o clã presidencial na CPMI da Fake News.
  • A NOMEAÇÃO do novo ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho já foi publicada no Diário Oficial da União, assim  como a de Gustavo Canuto, que ocupava a pasta, à frente da DataPrev. Sua nomeação saiu bem antes da futura nova secretária da Cultura, Regina Duarte, que foi escolhida bem antes.  
  • O EX-prefeito de São Paulo e candidato derrotado ao Planalto, Fernando Haddad em seu discurso na comemoração dos 40 anos do PT atacou o ministro da Economia, Paulo Guedes, que comparou os servidores públicos com parasitas. “Um cara que vem do mercado financeiro, que só lucrou em cima de especulação a vida inteira, nunca pregou um parafuso, vai chamar alguém de parasita? Parasita é ele.”
  • AINDA Haddad: ainda em seu discurso atacou mais uma vez o presidente Bolsonaro. “Chamar servidor público de parasita? Um cara que ficou 28 anos na Câmara Federal e não aprovou um projeto? Um cara que rachava o dinheiro dos funcionários do gabinete para enriquecer às custas do dinheiro público e desviado? Esse cara tem coragem de chamar alguém de parasita?”.
  • A EX-presidente Dilma Rousseff fala sobre a chuva em São Paulo: “O estado de São Paulo começou a chover muito e o pessoal está saindo na chuva. Com razão. É um pessoal que não está protegido e está saindo da chuva. É bom que chova, mas tem hora que quem está na chuva não quer pegar a chuva. Então, é essa contradição sempre”.

Colaboração: Paula Rodrigues

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".