CORREIO DO ESTADO

Confira nosso editorial desta quinta-feira: "Pires na mão, mas olhando o palanque"

Confira nosso editorial desta quinta-feira: "Pires na mão, mas olhando o palanque"
06/02/2020 03:00 -


Apesar das dificuldades financeiras que enfrenta com bastante frequência, a Santa Casa de Campo Grande pode estar sendo usada como palanque para pretensões eleitorais - ou eleitoreiras.

Sabidamente, há muito tempo a situação financeira da Santa Casa de Campo Grande não é das melhores e, com frequência, há notícias de atrasos de salários e outras obrigações trabalhistas, além de suspensão de atendimentos em determinadas áreas hospitalares.  Mas, ainda que isto seja uma realidade, triste, diga-se de passagem, a instituição poderá tornar-se um palanque para as pretensões eleitorais do seu presidente, Esacheu Nascimento, filiado ao Partido Progressista (PP) e com anúncio recente de pré-candidatura à prefeitura nas eleições deste ano.

Na tentativa de abrir caminho às “massas”, o hospital vai fazer - ou ser usado  para fazer - no próximo sábado, um evento popular, o “Santa Casa nos Bairros”, na Moreninha II, região sul da Capital e um dos bairros mais populosos de Campo Grande. Em nome da solidariedade? preocupação com as necessidades da população carente? Dificilmente... ainda mais quando vem de um estabelecimento que mantém o portão de sua emergência, o Pronto Socorro, permanentemente fechado, para evitar que pessoas doentes procurem diretamente o local, sem antes passar pelas filas dos postos de saúde.

A “ação social” promete  exames preventivos, mamografias e exame de câncer de próstata, além de consulta com oftalmologista, com aferição de pressão ocular, prevenção do glaucoma, aferição de pressão arterial para diagnosticar e tratar a hipertensão, teste de glicemia, etc. Estão prometendo até consultoria jurídica, além orientação sobre doação de sangue e campanha de conscientização, espaço infantil com animação para as crianças, aula de zumba, shows musicais, cortes de cabelo e maquiagem. 

Apostando nos dividendos políticos, a organização já trabalha com a ideia de um próximo evento, semelhante a este, a ser realizado na região da saída para Sidrolândia. Tudo isso após ter anunciado também a abertura de dez leitos para internação involuntária de usuários de drogas, a partir deste mês, sem precisar de dinheiro do Sistema Único de Saúde (SUS).

Muito bom para quem tem uma dívida superior a R$ 13 milhões. O valor está publicado na relação dos inscritos na dívida ativa federal e, conforme o documento, refere-se a tributos federais não pagos e à falta de depósito do Fundo de Garantia (FGTS) de alguns funcionários. Além disso, quase 80% da  receita do hospital vem dos cofres públicos, por meio de convênios.

Apesar de a Santa Casa viver com o pires na mão, buscando verbas dos cofres públicos, ora de um lado, ora de outro, muitas das vezes para saldar salários dos profissionais a ela vinculados, tem gente de "olho grande" nela... aliás, no palanque em que ela pode ser transformada para as eleições municipais deste ano.
 

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".