Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CORREIO DO ESTADO

Confira o editorial desta quinta-feira: "Coronavírus: cuidado sim, pânico não"

OMS declara pandemia do novo coronavírus, situação que vai exigir cuidados extras
12/03/2020 03:00 - Da Redação


No assunto repercussão mundial, sem sombra de dúvida, a maior continua sendo a propagação do novo coronavírus, também identificado como Covid-19. A situação agravou-se e, nesta quarta-feira, a Organização Mundial de Saúde (OMS) decidiu declarar pandemia da doença. Isso já significa dizer que ela se espalhou por diversos continentes, com transmissão contínua entre as pessoas. O pior é que, segundo a OMS, os casos, as mortes e os números de países atingidos devem aumentar.

É importante salientar que a última vez que a Organização Mundial de Saúde declarou uma pandemia foi em 2009, referindo-se a uma nova cepa de Influenza H1N1, que alguns pesquisadores estimam ter infectado perto de 1 bilhão de pessoas nos primeiros seis meses e matado centenas de milhares no primeiro ano de detecção. Os números do Covid-19 estão muito aquém disso. Até ontem, a OMS falava em 118 mil pessoas diagnosticadas com o vírus em 114 países, entre as quais 4.291 morreram. O Brasil tem pouco mais de 50 casos confirmados.

Mas, apesar do quadro apresentado, uma coisa é importante no momento: não entrar em pânico! A população pode buscar os serviços médicos quando apresentar os sintomas iniciais do vírus, como febre baixa, tosse, dor de garganta e coriza. Para isso, o Ministério da Saúde está reforçando ainda mais a capacidade assistencial da atenção primária durante a emergência do coronavírus. Estudos indicam que a maioria dos casos de Covid-19 são mais leves e poderiam até ser atendidos em postos de saúde.

O ministério tem frisado que não é situação para alarmismo generalizado, já que, de certa forma, era esperada certa expansão na circulação do vírus. E, novamente, a recomendação é para que as pessoas entendam e se conscientizem de que trata-se de um problema de saúde pública, para o qual a prevenção não depende somente das ações governamentais, mas, principalmente, da própria população. A orientação é por medidas básicas de higiene, como lavar as mãos com água e sabão, cobrir o nariz e a boca com um lenço de papel quando espirrar ou tossir e jogá-lo no lixo, utilizar lenço descartável para higiene nasal e evitar tocar olhos, nariz e boca sem que as mãos estejam limpas. Fazer a limpeza das mãos com frequência, aliás, é um caminho para se prevenir o contágio não somente do Covid-19, mas de várias doenças.  

Medidas de profilaxia precisam ser adotadas, sem, contudo, dar ao problema dimensão maior do que ele tem. A situação não é para pânico, mas para cuidados extras na prevenção. 

Felpuda


Embora embalada por vários “ex”, pré-candidatura a prefeito de esforçada figura não deslancha. É claro que ninguém ousa falar em voz alta que o apoio, em vez de alavancar os índices com o eleitorado, está é puxando para baixo. Uns dizem que o título do filme “Eu Sei O Que Vocês Fizeram no Verão Passado” retrata bem a situação. Outros complementam: “... na primavera, no outono, no inverno...”. Como diria vovó: “Aqui você planta, aqui você colhe!”.