Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CORREIO DO ESTADO

Confira o editorial desta sexta-feira: "Essa história ainda vai longe"

A polícia agora está às voltas com apuração de supostas ameaças ao superintendente de Defesa do Consumidor, Marcelo Salomão, além de um aparente furto de pesquisas sobre aumentos de combustíveis em postos do Estado
21/02/2020 03:00 - Da Redação


Suspeitas de possíveis envolvimentos à parte, os novos episódios serviram para azedar ainda mais o clima entre os proprietários de postos e Procon. Muitos donos de estabelecimentos foram acusados de aumentos abusivos no preço do etanol, aproveitando o momento de transição da entrada em vigor das novas alíquotas do Imposto sobre Circulação de Mercadorias (ICMS). O governo do Estado majorou a alíquota da gasolina e reduziu a do etanol para que a diferença de preços entre os dois gerasse maior competividade. Mas, em muitos locais o álcool acabou também tendo os seus valores aumentados.

Em decorrência disso, após notificar 130 postos na Capital e alguns no interior, Marcelo Salomão acionou o Ministério Público Estadual para auxiliar na fiscalização quanto a eventual desrespeito ao Código de Defesa do Consumidor e na relação de consumo. Ele entregou cópias das notificações expedidas para que as revendedoras de combustíveis apresentem documentações para a verificação quanto aos preços praticados nas vendas.  

O documento ao MPE aponta ainda que não houve redução nos preços do etanol na mesma proporção do reajuste da gasolina, mesmo tendo governo reduzido o ICMS de 25% para 20%. Durante ação do Procon e Delegacia do Consumidor foram encontradas dezenas de unidades de produtos vencidos expostos à venda ao consumidor.

Por tudo isso, os episódios agravaram o relacionamento entre as partes envolvidas na demanda. Agora, o superintentente relata  ter sido  perseguido duas vezes por uma moto preta e recebido ligações misteriosas originadas de Ponta Porã. Com medo de que sua vida possa estar sob risco, ele registrou um boletim de ocorrência policial. Não bastate isso,  o Procon teria sido alvo de furto na madrugada desta quinta-feira. Apenas o computador que continha dados da pesquisa de preços feita em todos os postos de combustível de Mato Grosso do Sul foi levado.  

Em meio às suspeitas, cabe agora à polícia e ao Ministério Público chegarem aos responsáveis tanto por um caso quanto por outro. Uma coisa está evidente: a situação precisa ser investigada à fundo. 

Felpuda


Devidamente identificadas as figurinhas que agiram “na sombra” em clara tentativa de prejudicar cabeça coroada. Neste segundo semestre, os primeiros sinais começarão a ser notados como reação e “troco” de quem foi atingido. Nos bastidores, o que se ouve é que haverá choro e ranger de dentes e que quem pretendia avançar encontrará tantos, mas tantos empecilhos, que recuar será sua única opção na jornada política. Como diz o dito popular: “Quem muito quer...”.