Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CORREIO DO ESTADO

Confira o editorial desta terça-feira: "Informação séria evita o pânico"

A proliferação de notícias falsas sobre o novo coronavírus tem demonstrado a necessidade de acesso a informações confiáveis sobre a doença
17/03/2020 03:00 - Da Redação


Em dias como os atuais, em que uma parcela da população está em pânico pela propagação do novo coronavírus (Covid-19), além dos cuidados que devem ser tomados para a prevenção da doença está o cuidado com o acesso a informações confiáveis. Em meio aos números crescentes de casos confirmados, tanto no Brasil quanto em outros países, as fake news sobre o vírus também têm aumentado. Daí a preocupação dos governos (federal, estaduais e municipais) em reforçar o combate às notícias falsas e à desinformação. Compartilhamento irresponsável de uma fake news que viraliza pode gerar pânico e caos, e é dever de todos conferir a informação antes de publicá-la ou compartilhá-la.

Nos últimos dias, um dos esforços do Ministério da Saúde tem sido barrar a disseminação de notícias inverídicas. São textos, imagens e vídeos que veiculam informações e recomendações erradas sobre prevenção e tratamento da Covid-19; absurdos que vão da ingestão de uísque até a descoberta de uma vacina, quando sabidamente o ministério tem alertado que não há, pelo menos até o momento, nenhum medicamento, substância, vitamina, alimento específico ou vacina que possa prevenir a infecção pelo novo coronavírus.

Daí a importância de a população buscar informações em veículos que disponham de credibilidade suficiente para informar corretamente, que checam com responsabilidade os dados levantados antes de divulgá-los. A sugestão de especialistas é que as pessoas verifiquem a notícia em jornais e emissoras reconhecidamente sérios. Ou seja, confiar em quem realmente apura os fatos antes de divulgá-los. Até mesmo porque não se pode esquecer que as epidemias sempre vieram acompanhadas de boatos e pânico em momentos da história muito anteriores à internet, como a epidemia de peste bubônica, que matou milhões de pessoas no século 14. Um exemplo mais recente é o do vírus Influenza, cuja pandemia foi objeto de boatos na internet há cerca de uma década.

Assim, tanto quanto adotar medidas de prevenção à doença desses dias, é preciso selecionar cuidadosamente as fontes de informações. Esse é momento de buscar dados fundamentados, em lugares conhecidos e também confiáveis. Isso porque o jornalismo profissional é o antídoto em tempos de fake news e contribui para que a população tenha acesso a notícias verdadeiras. É esse tipo de jornalismo que contribui para que as autoridades públicas, em seus diversos níveis, vejam-se pressionadas a adotar, com mais celeridade, políticas públicas que possam atenuar os efeitos dessa pandemia mundial. É necessário cuidado com as redes sociais, evitando o compartilhamento de quaisquer recomendações sem a certeza de que as fontes são confiáveis e que os conteúdos são verdadeiros. Somente informações corretas, de fontes seguras, evitam boatos e o clima de insegurança.

Felpuda


Figurinha carimbada ganhou o apelido de “biruta”, instrumento que indica direção do vento e, por isso, muda constantemente. Dizem que a boa vontade até existente ficou no passado, e as reclamações são muitas, mas muitas mesmo, diante das decisões que vem tomando a cada mudança de humor do eleitorado. Como bem escreveu o poetinha Vinicius de Moraes: “Se foi pra desfazer, por que é que fez?”.