Brasil

DESLEIXO

Recuperação de bombas reduziu impacto de nova inundação em Porto Alegre

Apenas cinco casas de bombas estavam funcionando no dia 8 de maio, número que subiu para 14 na última terça (14), pico da segimda cheia

Continue lendo...

A recuperação de parte das 23 estações de bombeamento de água pluviais reduziu o impacto das inundações em Porto Alegre no segundo pico das cheias do lago Guaíba registrado nesta semana.

A avaliação é do engenheiro ambiental Iporã Possantti, doutorando no IPH (Instituto de Pesquisas Hidrológicas) da UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul). Ele afirma que parte do impacto do primeiro pico do Guaíba, registrado no início do mês, seria mitigado caso mais bombas estivessem em operação.

Levantamento realizado pelo IPH aponta que apenas cinco casas de bombas estavam funcionando no dia 8 de maio, número que subiu para 14 na última terça (14), pico da nova cheia, e chegou a nove no dia seguinte.

A capital gaúcha, assim como boa parte do Rio Grande do Sul, enfrenta consequências da maior inundação da história, que deixou mais de 154 mortos, centenas de feridos e 461 municípios afetados

Em Porto Alegre, o sistema de proteção contra cheias colapsou diante da primeira enchente no início do mês, quando o nível do lago Guaíba atingiu a marca de 5,33 metros na régua do Cais, no dia 5.

A inundação afetou em torno de 150 mil habitantes e 84 mil domicílios, incluindo o Centro Administrativo, o aeroporto internacional Salgado Filho, a estação rodoviária e hospitais.

Na ocasião, afirma o pesquisador, foram inundados em Porto Alegre todos os sete pôlderes da cidade -pôlder é o nome técnico dado para as áreas de planície que são protegidas pelos diques.

O cenário mudou na segunda cheia do Guaíba, quando foi atingido um pico de 5,2 metros no Cais Mauá.

Imagens de satélite e fotografias de campo mostraram que a instalação de geradores na casa de bombas 12 evitou uma nova inundação do pôlder Praia de Belas, mesmo com a cheia no Guaíba com um pico de apenas 10 cm menor em relação ao anterior.

Áreas como a do entorno do estádio Beira Rio, asilo Padre Cacique e Parque Marinha, afirma Possantti, estavam secos nesta quarta-feira (15).

De acordo com o pesquisador, a nova inundação foi evitada por medidas tomadas para a instalação de geradores que fizeram as casas de bombas que drenam essas áreas voltarem a funcionar.

Na avaliação de Iporã Possantti, ainda é preciso apontar o porquê de o sistema ter falhado durante o primeiro pico das cheias do Guaíba e identificar o quão evitável foi a inundação em Porto Alegre.

"Existiu durante a primeira semana um rumor de que tudo era inevitável. Tudo foi uma grande maldade divina, tudo foi uma grande punição do além. Só que a gente está vendo que não é bem assim", diz Possantti.

Ele destaca que existiam e estavam disponíveis soluções tecnológicas e técnicas para impedir a inundação da capital gaúcha.

"Ninguém inventou a roda agora. Então a questão que começa a se abrir é o quão evitável as coisas foram."

O pesquisador destaca que esta avaliação deve levar em conta nuances, como os casos em que a água verteu por cima dos diques e ultrapassou os sistemas de proteção, como no bairro Sarandi.

Conforme apontado em reportagem da Folha de S.Paulo, o sistema de proteção contra cheias de Porto Alegre recebeu 23% a menos do orçamento destinado à manutenção dos equipamentos nos últimos sete anos.

No período, dos R$ 21,5 milhões previstos para o serviço, foram gastos R$ 16,4 milhões, segundo dados da Transparência da gestão Sebastião Melo (MDB) -são R$ 5 milhões de diferença; os valores foram atualizados pela inflação.

A manutenção dos equipamentos dos diques, comportas e sistemas de bombeamento de água pluvial da cidade é feita pela Bombas Sinos Indústria e Comércio Ltda desde 2017, quando foi assinado contrato na gestão do ex-prefeito Nelson Marchezan Júnior (PSDB), com repasses anuais de R$ 2,6 milhões, em média.

O contrato foi aditado pelo atual prefeito, Sebastião Melo (PSDB), que também não despendeu a totalidade do orçamento previsto para o serviço. Em 2023, foram gastos 73% do R$ 4,2 milhões previstos.

Em entrevista à Folha de S.Paulo nesta quarta, o prefeito disse que sua gestão fez "um investimento bastante razoável" nos últimos três anos, mas não foi suficiente.

"Estou muito consciente da minha responsabilidade, tenho procurado ser um prefeito pé no chão, vou continuar desse jeito, e posso dizer que nesses três anos, envolvendo drenagem urbana, tratamento de água, toda essa área, nós passamos aqui da casa, entre financiamento e não financiamento, de meio bilhão de reais", afirmou Melo.

(INFORMAÇÕES DA FOLHAPRESS)

Brasil

Alerta da OMS: Aumento de medicamentos falsificados para diabetes tipo 2 e perda de peso

Organização Mundial da Saúde identifica crescimento preocupante de falsificações de medicamentos como semaglutida, com riscos à saúde pública.

20/06/2024 14h00

Alerta da OMS: Aumento de medicamentos falsificados para diabetes tipo 2 e perda de peso

Alerta da OMS: Aumento de medicamentos falsificados para diabetes tipo 2 e perda de peso Divulgação: Agência Brasil

Continue Lendo...

A Organização Mundial da Saúde (OMS) renovou seu alerta sobre o aumento da falsificação de medicamentos destinados ao tratamento do diabetes tipo 2, que também são usados para perda de peso, como a semaglutida, princípio ativo do Ozempic, uma caneta subcutânea para controle do apetite.

O alerta abrange três lotes falsificados do Ozempic detectados em outubro de 2023 no Brasil, Reino Unido e Irlanda do Norte, e em dezembro de 2023 nos Estados Unidos. Desde 2022, o Sistema Global de Vigilância e Monitoramento da OMS tem registrado um aumento nos relatórios de produtos falsificados contendo semaglutida em várias regiões do mundo.

"A demanda por esses medicamentos tem crescido, assim como os casos de falsificação. Produtos falsificados podem representar riscos à saúde das pessoas. Sem os ingredientes necessários, esses medicamentos podem resultar em complicações devido ao descontrole dos níveis de glicose no sangue e do peso", alertou a OMS.

"Em alguns casos, ingredientes ativos não declarados podem estar presentes nas injeções, criando riscos imprevisíveis e complicações à saúde", completou a organização.

Precauções são recomendadas pela OMS para proteger os pacientes desses medicamentos falsificados e de seus efeitos nocivos. É aconselhável que os pacientes adquiram o medicamento com prescrição médica de profissionais autorizados, evitando fontes desconhecidas ou não verificadas, como as encontradas online.

"As embalagens e datas de validade dos medicamentos devem ser verificadas antes da compra e seu uso deve ser conforme a prescrição médica. Para semaglutidas injetáveis, é importante garantir o armazenamento adequado na geladeira", destacou a OMS.

Notificações sobre medicamentos falsificados podem ser enviadas à OMS através do e-mail [email protected].

luto

Morre Chrystian, cantor que fez dupla com Ralf

Desde o começo do ano o cantor estava em tratamento médico por conta de problemas renais e estava se preparando para fazer um transplante

20/06/2024 07h51

 Chrystian tinha 67 anos e havia desfeito a dupla com o irmão, mas estava com agenda de inúmeros shows marcados ao longo dos próximos meses

Chrystian tinha 67 anos e havia desfeito a dupla com o irmão, mas estava com agenda de inúmeros shows marcados ao longo dos próximos meses

Continue Lendo...

O cantor Chrystian, que já formou dupla sertaneja com Ralf, morreu nesta quarta-feira (19), aos 67 anos. A causa da morte não foi divulgada pela equipe e família de Chrystian. Ele deu entrada no hospital durante a manhã após passar mal em casa e ficou internado, segundo sua assessoria, em virtude de diagnóstico que exigia "repouso imediato e tratamento especializado".

A assessoria do artista, inclusive, havia comunicado o cancelamento de show programado para o dia 22 de junho em Franco da Rocha (SP). "Pedimos a compreensão de todos e agradecemos pelo apoio contínuo. Informações sobre possíveis remarcações ou reembolsos serão comunicadas em breve."

Em fevereiro, Chrystian foi internado no Hospital do Rim, da Fundação Oswaldo Ramos, em São Paulo. Ele havia sido diagnosticado com rim policístico e receberia um transplante do órgão da esposa, Key Vieira, mas teve o procedimento adiado em virtude de um cateterismo.

Em nota, a família do artista exaltou os 60 anos de dedicação do cantor à música sertaneja. "Sua voz inconfundível e sua paixão pela música trouxeram alegria e emoção aos fãs em todo o Brasil."

Leia a nota da família de Chrystian na íntegra:

"Com imenso pesar, a família e a equipe de Chrystian, comunicam o falecimento do nosso querido esposo, pai e artista, ocorrido no Hospital Samaritano, em São Paulo.

Chrystian dedicou 60 anos de sua vida à música sertaneja, construindo uma carreira brilhante e marcada por inúmeros sucessos. Sua voz inconfundível e sua paixão pela música trouxeram alegria e emoção aos fãs em todo o Brasil. Ao longo de sua trajetória, Chrystian esteve sempre na estrada, compartilhando seu talento e carisma em incontáveis shows, onde conquistou e encantou gerações de admiradores.

Neste momento de profunda dor, encontramos consolo nas memórias dos momentos felizes e nas canções que ele nos deixou. Agradecemos de coração todo o apoio, carinho e respeito que recebemos dos fãs, amigos e colegas de profissão. Chrystian viverá para sempre em nossos corações e através de sua música, que continuará a inspirar e emocionar a todos.
Com amor e saudades. Esposa e Filhos"

(INFORMAÇÕES DA FOLHAPRESS)
 

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).