Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ECONOMIA

Bolsonaro volta a dizer que megaleilão do pré-sal agradou o governo

Bolsonaro volta a dizer que megaleilão do pré-sal agradou o governo
07/11/2019 11:00 - ESTADÃO CONTEÚDO


O presidente da República, Jair Bolsonaro, voltou a afirmar nesta quinta-feira, 7, que o megaleilão do pré-sal agradou o governo. Bolsonaro disse ainda que tende a diminuir a matriz energética "que vem do fundo da terra".

"Arrecadou menos porque metade das áreas não teve oferta. Segundo a nossa equipe, ministro das Minas e Energia, o próprio Paulo Guedes (da Economia), foi o maior leilão do mundo até o momento", disse Bolsonaro. "Vocês devem estar sabendo da mídia. Essa matriz que vem do fundo da terra, a tendência é ir diminuindo, porque outras fontes de energia vão aparecendo", declarou o presidente.

Esperado como um trunfo para fechar as contas do governo, o megaleilão do pré-sal, realizado na quarta-feira, 6, frustrou as expectativas da equipe econômica de arrecadar R$ 106,5 bilhões. A Petrobras, com as chinesas CNOOC e CNODC, arrematou duas das quatro áreas oferecidas, pagando R$ 69,96 bilhões.

As grandes petroleiras ficaram de fora da disputa e as outros dois campos não tiveram oferta. "Não adianta você ter petróleo embaixo da terra e não ter como explorá-lo", disse Bolsonaro.

O presidente desconversou sobre rever regras para os próximos leilões. "Tem que conversar com Bento (ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque)."

Bolsonaro afirmou que não pode comentar o assunto com base em informações superficiais. "Tenho informações por vezes superficiais e se eu falar aqui vocês publicam depois, dá um escândalo no Brasil, cai a bolsa, sobe o dólar, não posso agir dessa maneira. Sou humano igual a vocês", disse.

Questionado se o resultado do leilão foi bom para a Petrobras, Bolsonaro disse: "Não vou entrar em detalhes."

Reforma administrativa

Bolsonaro disse que o Executivo deve enviar a reforma administrativa na próxima terça-feira, 12, ao Congresso Nacional "Até porque você tem que mandar para lá com menor quantidade possível de arestas", afirmou o presidente.

"A política tem de estar casada. Não sou dono de uma empresa. Estou no comando de um país, que tem que ver a questão social, na economia, tem que ver um montão de coisa", disse Bolsonaro.

As declarações de Bolsonaro foram feitas sob forte chuva em frente ao Palácio da Alvorada, onde o presidente costuma tirar selfies com apoiadores e conversar com a imprensa. Uma das respostas de Bolsonaro aos jornalistas foi interrompida pelo barulho de um trovão. "Deus abençoando, presidente", disse um fã "Peço para tirar a mão da grade aqui, dá uma zebra num raio, tira a mão da grade, pessoal", disse Bolsonaro, que encerrou a entrevista quando a chuva ficou mais intensa.

Felpuda


Prefeitura de município do interior de MS recebeu recomendação do Ministério Público do Estado no sentido de exonerar servidores comissionados, livres do cartão de ponto, que são parentes de secretários da administração e de vereadores. O nepotismo se tornou um excelente “negócio” por lá, e se até o dia 6 de agosto as devidas providências não forem tomadas, medidas serão adotadas, como ação por improbidade administrativa. Tem gente que não aprende mesmo, né?