Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

EDUCAÇÃO

Enem ocorreu com tranquilidade, diz presidente do Inep

Enem ocorreu com tranquilidade, diz presidente do Inep
11/11/2019 12:00 - AGÊNCIA BRASIL


Pelas redes sociais o presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Alexandre Lopes, disse que o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) ocorreu com tranquilidade. "Descanse, relaxa, você fez uma boa prova, estamos torcendo por você".

Ontem (10) foi o segundo dia de prova do Enem. Participantes fizeram as provas de matemática e ciências da natureza em mais de 1,7 mil municípios. No último domingo (3), os candidatos fizeram as provas de linguagens, ciências humanas e redação. O tema da redação deste ano foi  “Democratização do acesso ao cinema no Brasil”.

"O Enem terminou, tudo ocorreu com tranquilidade", afirmou em vídeo, Lopes. O presidente do Inep participa agora, junto com o ministro da Educação, Abraham Weintraub, de coletiva de imprensa para divulgar o balanço final do exame. 

Os gabaritos oficiais serão divulgados na quarta-feira (13). Também serão divulgados os Cadernos de Questões, em todas as suas versões. No total, serão seis gabaritos para cada dia de aplicação e seis Cadernos de Questões, de acordo com as cores da prova e opções acessíveis. 

Os participantes deverão ficar atentos para conferir o gabarito relativo à cor de prova que fez em cada domingo de aplicação.

Os resultados individuais do Enem 2019 serão divulgados na Página do Participante e no aplicativo do Enem, em janeiro de 2020, a partir de consulta com CPF e senha. 

O resultado dos participantes eliminados, segundo o Inep, não será divulgado, mesmo que eles tenham realizado o Enem nos dois dias de aplicação. Para os treineiros, que fazem o exame para autoavaliação de conhecimentos, a consulta só será liberada em março do ano que vem.

Felpuda


A lista do Tribunal  de Contas de MS,  com nomes de gestores que tiveram reprovados os balanços financeiros  de quando exerceram cargos públicos,  está deixando  muitos candidatos de cabeça quente.  Conforme previsto  pelo Diálogo, adversários estão se utilizando de tais dados para cobrar, principalmente nas redes sociais, deixando alguns gestores na maior saia justa e tendo que se explicar. O eleitor, por enquanto, só observa. E dê-lhe!