Clique aqui e veja as últimas notícias!

MATO GROSSO DO SUL

‘Tribunal do crime’ executou jovem de 22 anos em Ladário

Vítima foi sequestrada por quatro bandidos antes de ser tortura e morta a facadas
14/09/2021 14:50 - Rodolfo César


Investigação policial identificou que Lucas Matheus de Souza Mendonza, 22 anos, foi morto após ter sido submetido ao “tribunal do crime” em Ladário, cidade de 24 mil habitantes que fica na fronteira com a Bolívia e ao lado de Corumbá.

Para executar o plano do tribunal ilegal, quatro homens atuaram diretamente. Eles sequestraram a vítima em Ladário e o “julgamento” também ocorreu na cidade. 

Esses investigados envolvidos no crime foram presos neste final de semana após operação conjunta dos SIGs de Ladário e Corumbá. Eles estavam no bairro Ceac, que fica em área afastada do Centro da Pérola do Pantanal.

Últimas notícias

A prisão dos homens de 34, 31, 22 e 21 anos foi divulgada no final da tarde desta segunda-feira (13) pela equipe do Setor de Investigações Gerais (SIG) de Ladário, que conduz o inquérito policial. Os nomes não foram revelados porque a Polícia Civil ainda não concluiu a apuração.

Lucas foi encontrado morto no Rio Paraguai no dia 25 de agosto. Ele foi “condenado” à morte por supostamente estar vinculado a uma facção criminosa adversária.

Nesse tipo de atividade criminal, o "investigado" pela organização criminosa responde por alguma infração que o grupo adversário entende que ele cometeu. 

Em geral, quem coordena esse tipo de tribunal ilegal é um preso de maior ascendência dentro da facção criminosa. 

Em alguns casos, esse "juiz" está até preso e tudo é feito de forma online, por um celular ou computador.

"Iniciada a investigação, com base em trabalho de inteligência, apurou-se que a vítima foi sequestrada por integrantes de uma facção criminosa, que o submeteram a um 'tribunal do crime', onde a vítima foi 'julgada' e condenada por uma suposta relação com organização criminosa rival. 

Os quatro suspeitos faccionados foram identificados e presos, os quais seguem à disposição da Justiça. A Polícia Civil segue investigando o caso para apurar toda a dinâmica do assassinato", divulgou a Polícia Civil de Ladário.

A equipe policial ainda apura quem mandou matar o jovem e se de fato havia algum crime que Lucas teria cometido. O jovem de 22 anos não tinha registro policial contra ele ou investigação em curso.

Os quatro investigados estão presos e já prestaram depoimento à Polícia Civil de Ladário. Eles são vinculados a uma facção criminosa com atuação em diferentes partes do Brasil e com membros envolvidos na prática de tráfico de drogas, além de roubo e outras ilegalidades.

A vítima morava em Ladário e foi assassinada com requintes de crueldade. O corpo dele estava boiando no Rio Paraguai há cerca de 15 km de Ladário, em área onde a Marinha tem uma base de treinamento. 

Quem encontrou o corpo foi uma embarcação da Capitania Fluvial do Pantanal, da Marinha do Brasil. 

Equipe dos Bombeiros identificaram que a vítima estava com o pescoço cortado, vários ferimentos no rosto, corte profundo no crânio e ferimento de arma branca no abdômen.

O delegado que preside o inquérito, Luca Venditto Basso, comentou que a população ainda pode ajudar com a denúncia anônima. 

“A população poderá realizar denúncias na Polícia Civil de Ladário via aplicativo WhatsApp pelo número 67 99668-1679. O sigilo da identidade e do número telefônico serão mantidos”, disse.

Assine o Correio do Estado