Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PANDEMIA

“Eu mesmo estou ligando para a Guarda”, diz secretário de Saúde sobre festas

Geraldo Resende afirmou que é preciso postura firme para evitar a propagação do vírus
21/06/2020 14:32 - Bruna Aquino, Glaucea Vaccari


Mesmo com o aumento de casos e mortes por Covid-9 em Mato Grosso do Sul, as taxas de isolamento continuam baixas e tem aumentado o número de festas realizadas, com aglomeração de pessoas e contra as recomendações dos órgãos de Saúde e decretos municipal e estadual, que proíbem os eventos. Diante do problema, secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende, disse que ele mesmo está denunciando os casos.

“Eu mesmo estou ligando para a Guarda sobre o não cumprimento do decreto. Devemos ter a postura firme para evitar a propagação do vírus”, disse, neste domingo (21).

A situação tem sido evidenciada por fiscalização da Guarda Municipal, que, em Campo Grande, tem flagrado e fechado diversas festas clandestinas diariamente.

Conforme Resende, além de festas em clubes, também há aglomeração de pessoas em ruas, especialmente nos altos da Avenida Afonso Pena, e residências.  

“Pude notar que as pessoas aqui de Campo Grande, não me parece querer contribuir para de fato vencermos a Covid-19. A noite, percebi que no entorno de onde moro tinha festas com aglomerações de muitas pessoas, festas em condomínios fechados, o que demonstra que a população não quer ajudar, grande parte acredita que não vai chegar aos seus familiares”, comentou.

O secretário disse ainda que os próximos dias podem ser “terríveis” para Mato Grosso do Sul, com aumento de casos e, consequentemente, da ocupação de leitos nas cidades, com alguma já chegando ao limite de leitos disponíveis.

Até este domingo, o Estado tem 5.237 casos confirmados de Covid-19 e 47 mortes pela doença. Deste total, 2.424 estão em isolamento domiciliar, 2.621 estão sem sintomas e já estão recuperados e 147 estão internados, sendo 94 em hospitais públicos e 58 em hospitais privados.

 
 

Felpuda


Apressadas que só, figurinhas tentaram se “apoderar” do protagonismo de decisão administrativa. Não ficaram sequer vermelhas quando se assanharam todas para dizer que tinham sido responsáveis pela assinatura de documento que, aliás, era uma medida estabelecida desde 2019. Quem viu o agito da dupla não pode deixar de se lembrar daquele pássaro da espécie Molothrus bonarienses, mais conhecido como chupim, mesmo. Afe!