Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PARTICULARES

“Temos que avançar nesse sentido”, diz secretário sobre retomada das aulas presenciais

Reunião é realizada nesta terça para definir se escolas podem reabrir a partir do dia 10
03/09/2020 15:56 - Glaucea Vaccari , Rodrigo Almeida


Reunião realizada na tarde desta sexta-feira discute o possível retorno presencial das aulas presenciais nas escolas particulares de Campo Grande, que estão fechadas há quase cinco meses.

Antes do início do debate, o secretário municipal de Saúde, José Mauro, disse que a reunião é para cada setor apresentar sua visão e proposta de retomadas, mas que deve haver avanço.

“É momento de analisar e pensar realmente numa situação plausível de retomada. O Brasil está discutindo melhor esse assunto, eu acho que vários estados já reabriram os recintos, a gente tem que começar a evoluir nesse sentido”, disse.

Ainda segundo o secretário, existe também a questão psicológica das crianças, que é afetada pelo isolamento.

“Ninguém estava preparado, assim como as crianças, para ficar trancado seis meses dentro de casa”, afirmou.

Apesar da questão psicológica, em questão de saúde, José Mauro afirma que os atendimentos de crianças nas unidades de saúde diminuíram desde a suspensão das aulas.

"O que a gente percebeu é que para a saúde não foi uma questão desfavorável, diminuiu muito os pacientes pediátricos nas unidades, viroses, síndromes gripais, diminuiu barbaramente".

Na reunoão, a parte que cabe a Secretaria de Saúde é apresentar dados e análise dos dados relacionados a pandemia para contribuir com a proposta das escolas.

Participam da discussão representantes da prefeitura, Ministério Público de Mato Grosso do Sul e entidades representantes das instituições de ensino.

Proprietários estão otimistas quanto a um retorno a partir do dia 10 de setembro, que é a data que foi estabelecida na última reunião realizada.

 
 

Felpuda


Figurinha está trabalhando intensamente para tentar eleger a esposa como prefeita de município do interior.

Até aí, uma iniciativa elogiável. Uns e outros, porém, têm dito por aí que seria de bom tom ele não ensinar a ela, caso seja eleita, como tentar fraudar folha de frequência de servidores. 

Afinal, assim como ele foi flagrado em conversa a respeito com outro colega, não seria nada recomendável e poderia trazer sérias consequências. Só!