Clique aqui e veja as últimas notícias!

CORONAVÍRUS

Resende: “Tenha compaixão e empatia para que possamos diminuir a proliferação da doença no Estado”

Geraldo Resende e Christinne Maymone clamam por cooperação da população em combate à Covid-19
25/12/2020 12:01 - Naiara Camargo


O primeiro caso do novo coronavírus em Mato Grosso do Sul foi computado no dia 14 de março deste ano. 

Desde o dia 16 do mesmo mês, Geraldo Resende, secretário estadual de Saúde e Christinne Maymone, adjunta da Saúde, informam o cidadão sul-mato-grossense a respeito da situação pandêmica, números da Covid-19 e ações tomadas pelo governo.

Últimas notícias

Informação

São eles que informam diariamente por meio dos boletins epidemiológicos os números de casos confirmados; notificados; descartados; em análise; óbitos; recuperados; hospitalizados e superlotação de hospitais.

Comunicam também quais são as cidades que apresentaram confirmações da doença e óbitos; nível de letalidade e incidência; média móvel de casos e de mortes; taxa de contágio; entre outros. 

Indignação

Geraldo se exaltou durante a live da última segunda-feira (21) ao soltar um palavrão, imitando a atitude dos jovens em relação à pandemia.

“Uma grande parte da população não tem sido colaborativa, estão se aglomerando, fazendo festas, estão optando pela morte, e não pela vida”, disse.

“Pessoas idosas estão sendo contaminadas por aqueles que infelizmente não atendem os apelos que estamos fazendo diariamente”, complementa.

“Quem está saindo, festando, frequentando boates, deixando de usar máscara, pode levar o vírus para sua casa e vai ser responsável pela morte de seus familiares, principalmente dos seus pais e dos seus avós ou das pessoas mais idosas que estão em suas casas", alertou o secretário em suas transmissões. 

Christine Maymone, secretária adjunta da saúde, reforça sobre o número altíssimo de mortes registrado esta semana. “Se esse número não te assusta, eu não sei o que te assusta mais”, afirma.

Medidas tomadas

Inúmeras medidas já foram tomadas pelo governo do Estado e alguns municípios para conter a propagação do novo coronavírus. 

Algumas delas foram decretar lockdown na capital e em algumas cidades do interior; uso obrigatório de máscara em todo o Estado e fechamento do comércio.

Imposição do toque de recolher; imposição de medidas de biossegurança para locais; como disponibilização de álcool gel e fechamento da rodoviária também entram na lista.

Orientações

Alertam constantemente a todos para que pratiquem o isolamento social; usem máscara corretamente; lavem bem as mãos com água e sabão; utilizem álcool gel; mantenham distanciamento social de 1,5m de outras pessoas e não realizem festas e aglomerações. 

Aconselham também que, caso alguém apresente febre, tosse seca, dor de garganta e estranheza no paladar ou olfato, que procure uma unidade de saúde mais próxima e inicie imediatamente o isolamento social.

“Use máscara e mantenha a higienização das mãos”, é o que Geraldo clama todos os dias aos sul-mato-grossenses.

“Não temos leitos, não temos fisioterapeutas suficientes, precisamos contar com a consciência da população”, apela. 

Christine Maymone pede que as pessoas tenham mais respeito e solidariedade com o próximo nesta época festiva de fim de ano. “Não é o momento de viajar, de praia, de aglomeração. Fique em casa”.

“Faça a melhor escolha, não participe e nem realize aglomerações neste fim de ano. Não é momento de aglomerar, vamos proteger as nossas famílias”, complementa a adjunta. 

Esperança

A Secretaria Estadual de Saúde (SES), juntamente às secretarias municipais de saúde agilizaram, em vários momentos, recursos para a aquisição de novos leitos de UTI Covid, compra de respiradores, e, atualmente, Governo e Município estão negociando a compra da vacina. 

Geraldo Resende, secretário de Estado de Saúde afirma que faltam poucos dias para que a população seja vacinada. “Final de janeiro e fevereiro temos a perspectiva de começar a fazer a vacinação”.

“Em 2021 podemos voltar a fazer as comemorações que deixamos de fazer esse ano”, expressa o secretário.

Milhões de vacinas das CoronaVac já estão em São Paulo para imunizar a população paulista já no mês que vem. 

A Prefeitura Municipal de Campo Grande (PMCG) enviou proposta ao Instituto Butantan para compra de 347,8 mil doses da vacina contra a Covid-19, CoronaVac, desenvolvida pela entidade em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac. 

O governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB) disse no último dia 8 que o Estado já tem recurso disponível para comprar vacinas contra a Covid-19 e imunizar a população sul-mato-grossense.