Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CELEBRAÇÃO

“Tudo já está realizado em Cristo, mas nem tudo está realizado em nós”, diz arcebispo em mensagem de Páscoa

Dom Dimas celebrou Páscoa Catedral Nossa Senhora da Abadia por transmissão ao vivo
12/04/2020 13:23 - Bruna Aquino


Durante celebração de Páscoa nesta manhã, o arcebispo de Campo Grande Dom Dimas Lara Barbosa deixou uma mensagem aos fiéis neste dia tão importante para os cristãos. “Tudo já está realizado em Cristo mas nem tudo está realizado em nós, Jesus ressuscitado já não morre mais; porém, a nós, cabe continuar a nossa caminhada pelos acontecimentos de nossa vida, desejo ao nosso bom povo uma Santa e Feliz Páscoa!”. 

Dimas realizou a primeira celebração na Catedral Nossa Senhora da Abadia e Paróquia Santo Antônio, o arcebispo  iniciou seu homilia, sua mensagem de Páscoa rememorando um pensamento da Missa da Vigília de Páscoa (de sábado). 

O Arcebispo destacou que tão importante e significante, neste momento de celebração é lembrar também das palavras do Papa Francisco, na celebração da Vigília Pascal do dia 11 de abril. "Nesta noite, conquistamos um direito fundamental, que não nos será tirado: o direito à esperança. É uma esperança nova, viva, que vem de Deus. Não é mero otimismo, não é uma palmada nas costas nem um encorajamento de circunstância. É um dom do Céu, que não podíamos obter por nós mesmos. Tudo correrá bem: repetimos com tenacidade nestas semanas, agarrando-nos à beleza da nossa humanidade e fazendo subir do coração palavras de encorajamento. Mas, à medida que os dias passam e os medos crescem, até a esperança mais audaz pode desvanecer. A esperança de Jesus é diferente. Coloca no coração a certeza de que Deus sabe transformar tudo em bem, pois até do túmulo faz sair a vida”, destacou. 

SEMANA SANTA

As celebrações que a Igreja Católica realiza durante o ano têm seu centro na Páscoa. O Batismo, a Eucaristia, a Penitência e todos os outros Sacramentos querem nos inserir nesse mistério da paixão, morte e ressurreição do Senhor. A Quaresma é uma grande preparação para a Páscoa. E a Semana Santa é a sua preparação mais próxima, em que fazemos memória dos acontecimentos finais e decisivos da missão de Jesus.

A Semana Santa começa no Domingo de Ramos e da Paixão do Senhor. Nesse dia, rememoramos a entrada triunfal de Jesus em Jerusalém, quando a multidão estendeu seus mantos no caminho, enquanto outros cortavam ramos de árvores e os espalhavam pelo caminho, e o aclamavam dizendo “Bendito o que vem em nome do Senhor! Hosana nas alturas” (cf. Mt 21, 8s).

No entanto, no mesmo dia lembramos como outra multidão gritava diante de Pilatos: “Seja crucificado!” e “Que seu sangue caia sobre nós e sobre nossos filhos!” (cf. Mt 27,22.25).

Na Quinta-Feira Santa, recordamos a Última Ceia que Jesus celebrou com os seus discípulos, em que ele lhes lava os pés, institui a Eucaristia e o nosso Sacerdócio e nos dá o grande mandamento do amor: “Que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei!” (cf. Jo 13). Em cada Santa Missa que celebramos renova-se o sacrifício de Cristo, e os que dela participam são chamados a se tornarem sua “memória viva”, com um novo modo de conceber a vida, que os liberta da lógica do poder, da autossuficiência e do domínio, e os coloca na lógica da gratuidade e lhes confere o sentido último da existência humana. Afinal, a morte não possui a palavra final!

Na Sexta-Feira Santa, na celebração da Paixão, mais uma vez recordamos a caminhada de Jesus rumo ao Calvário: após ser traído por Judas, negado por Pedro, ele é condenado, torturado, crucificado, morto e sepultado. No entanto, sua Mãe, com outras santas mulheres, e o discípulo amado ficaram com Ele até o fim (cf. Jo 19,25-27).

O Sábado Santo ainda é um dia de luto pela morte do Senhor. No entanto, na solene Vigília Pascal, com a bênção do fogo novo e do círio pascal (uma grande vela, onde se vê a cruz com cinco grãos de incenso lembrando as chagas de Cristo, o ano que estamos vivendo, e as letras Alfa e Ômega, significando que Jesus é o princípio e o fim de toda a criação, a vitória da vida sobre a morte é anunciada. A cerimônia começa com as luzes apagadas, mas com a entrada do círio pascal, as velas que cada um traz consigo vão sendo acesas e logo toda a Igreja é iluminada. O altar é revestido festivamente, cantamos o Glória e o Aleluia, e percorremos inúmeras passagens das Escrituras, mostrando essa longa caminhada de libertação. Nessa noite, todos somos convidados a renovar os próprios compromissos batismais, e em muitas Igrejas novos irmãos, sobretudo adultos, são batizados.

A Páscoa, como o Natal, é tão importante, que a Igreja a celebra durante oito dias, até o domingo seguinte: é a Oitava da Páscoa (também existe a Oitava de Natal).  Páscoa significa a “Passagem” da morte para a vida. 

 

Felpuda


Pré-candidato a prefeito de Campo Grande divulgou vídeo em que político conhecido Brasil afora anuncia apoio às suas pretensões. O problema é que o tal líder já andou sendo denunciado por mal feitos em sua trajetória, sem contar que o pai do dito-cujo teve de renunciar ao cargo de ministro por ter ligações nebulosas com empresa de agrotóxico. Depois do advento da internet, essa coisa de o povo ter memória curta hoje não passa de coisa “da era pré-histórica”.