Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PREVISÃO

A dez dias do inverno, previsão indica calorão e tempo seco no fim de semana

Temperaturas dever ter ligeira queda de domingo para segunda
11/06/2020 16:13 - Glaucea Vaccari


 

Faltando dez dias para o início do inverno, o calor e tempo seco devem predominar em Mato Grosso do Sul durante esta sexta-feira (12) e todo o fim de semana, com predomínio de sol, temperaturas elevadas e baixa umidade relativa do ar, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

Previsão do Inmet indica que, pelo menos durante os próximos três dias, céu será claro, com sol aparecendo entre poucas nuvens, e névoa seca.  

Após passagem de frente fria na última semana, temperaturas seguem em elevação, com mínima de 18°C e máxima de 36°C.  

No fim de domingo, a nebulosidade aumenta e pode chover em pontos isolados, em municípios das regiões sul e oeste do Estado. As temperaturas caem um pouco de domingo para segunda-feira, mas não deve fazer frio e máxima continua em 30°C, com mínima de 16°C.

Em Campo Grande, temperaturas ficam entre 20°C e 31°C na sexta-feira, 21°C e 30°C no sábado e 18°C e 30°C no domingo.  

Conforme o Centro de Monitoramento do Tempo e do Clima (Cemtec), não há expectativa de chuva para o Estado e, com isso, a umidade do ar fica bastante baixa, com índices que podem chegar a 20%, considerado estado de atenção e prejudicial à saúde.  

Para a Organização Mundial de Saúde (OMS), a umidade relativa do ar ideal para o corpo humano varia entre 50% e 70%. Seja em dias frios ou quentes, quando o índice está abaixo dos 30% é comum que as pessoas sintam desconforto físico.  

Para todos os dias, recomendação é ingerir bastante líquido, umidificar ambientes, redobrar cuidados com idosos e crianças e evitar aglomerações.

 

Felpuda


Devidamente identificadas as figurinhas que agiram “na sombra” em clara tentativa de prejudicar cabeça coroada. Neste segundo semestre, os primeiros sinais começarão a ser notados como reação e “troco” de quem foi atingido. Nos bastidores, o que se ouve é que haverá choro e ranger de dentes e que quem pretendia avançar encontrará tantos, mas tantos empecilhos, que recuar será sua única opção na jornada política. Como diz o dito popular: “Quem muito quer...”.