Correio B

SHOW

Hugo e Guilherme retornam a Campo Grande, onde tudo começou

Dupla participou de ação com fãs nesta quinta-feira (16) e falou sobre "No Pelo 360°" que acontece este fim de semana.

Continue lendo...

Com show marcado para este sábado (18) em Campo Grande, a dupla Hugo e Guilherme fez a alegria dos fãs durante ação realizada na tarde desta quinta-feira (16), no Shopping Bosque dos Ipês.

Próximo a loja do Santo Show - organizadora do evento, os artistas tiraram fotos com fãs e até deram uma ‘palhinha’ de sucessos como ‘Vazou na Braquiara’. 

Em entrevista coletiva concedida durante o encontro, Hugo & Guilherme declararam o seu amor à Campo Grande dizendo que são goianienses mas que se consideram ‘municipalizados’ campo-grandenses.

“Se eu pudesse, tocava muito mais aqui, a gente tá tocando muito pouco em Campo Grande, eu sou apaixonado nessa cidade, sempre falei, desde o começo, desde quando a gente veio aqui a primeira vez, eu tinha até uma vontade de ter uma residência aqui, a gente tem muitos amigos aqui”, comentou Guilherme.

Além do carinho pelo público e pelos amigos, a dupla nutre uma admiração pela cultura da Capital, como revelou Guilherme:

“A cultura daqui é muito parecida com a nossa, eu acho que é uma cultura mais forte do que até mesmo a cultura goiana relacionado à música sertaneja, aqui a galera leva mesmo no coração, principalmente quando a gente frequentava muito aqui, a gente ia nos barzinhos daqui e lá tocava moda mesmo eu lembro que tinha uma dupla aqui que a gente sempre ia João Paulo e Savala, eles tocavam só música antiga, João Paulo só música antiga, lá em Goiânia tá faltando muito isso”.

Em relação ao público, Hugo falou que o calor dos fãs da Capital é o que os diferencia de outras cidades.

“Desde o início Campo Grande foi uma chave para nós, virou algo na nossa vida né, nós só somos o que nós somos por Campo Grande porque aqui que despertou um sentimento de verdade em nós, e a gente se lembra como se fosse a primeira vez que viemos tocar aqui, acabou a energia, o gerador parou, e a galera ligou o celular pra cantar Conveniência que era uma música que a gente, na verdade a gente não tinha dinheiro pra nada e depois de ver aquilo nós prometemos que jamais esqueceríamos Campo Grande, se nossa base não fosse Goiânia, moraríamos aqui com certeza”.

Quando comentado se o projeto No Pelo 360° tem planos de trazer artistas que a dupla é fã, Hugo disse que esse plano já está saindo do papel, e que talvez em 2025 já seja colocado em prática.

“Esse ano a gente tentou chamar o Leonardo, a mas ele tinha show no dia do No Pelo em Goiânia, então pro ano que vem como a agenda é muito corrida, tem muitos eventos, enfim, a gente já tá começando a programar os eventos para o ano que vem e se Deus quiser, não só o Leonardo, mas com uma galera que a gente é fã”.

“A gente ia fazer com Gian e Giovani mas aí entrou a pandemia e não teve o evento, a gente já fez com Raça Negra, acho que todo mundo, Maiara e Maraísa a gente é muito fã também então casa muito com o propósito que a gente tem no evento, se Deus quiser ano que vem vamos tentar fazer umas coisas diferentes, com pessoas que estão em um escalão muito alto que a gente identifica como pessoas importantes para nós dentro da música, um Daniel, Bruno e Marrone, Rick e Renner”, completou Guilherme.

Para descontrair,a dupla falou sobre quem não pode faltar na playlist de ambos, Guilherme disse que seu gosto é muito diversificado. 

“Na minha é Luis Miguel, Roberto Carlos, Belo, Pixote, Natiruts”.

Já Hugo falou que atualmente é fã de música internacional. 

“Apesar de não entender nada, tô escutando umas coisas diferentes assim, tô escutando uma banda chamada Black Pumas, mas eu escuto de tudo, gosto muito de Gian e Giovani, Zezé di Camargo e Luciano, mas o que acho que não pode faltar mesmo é João Paulo e Daniel, esse não falta de jeito nenhum”.

Sobre o sucesso da dupla, eles acreditam que os principais pilares para estar sempre nas músicas mais tocadas do país, sejam os fãs e a imprensa.

“A gente sempre trata todo mundo com muita igualdade, eu acho que nós não somos ninguém, a gente está nesse mundo de passagem, nessa vida aqui de passagem, e Hugo e Guilherme está em um momento bom, então assim, se a gente vive um momento bom, é graças a vocês, a gente tem que valorizar isso porque as pessoas as vezes esquecem de onde vieram, do sofrimento, daquela correria toda. É um privilégio para nós, estar perto de pessoas que a gente acredita que tenham o mesmo propósito que nós”, comentou Hugo.

“Mas se ignorar esses dois pilares, imprensa e fãs, é meio que uma “burrice” do artista, primeiro é o fã, quem é que compra seu ingresso ? É o fã, quem escuta sua música, quem que vai passando de boca a boca, quem dá a vida para ir no seu show ? É o fã, e segundo a imprensa, quem divulga você para os fãs ? quem que faz as pessoas te conhecerem ? É a imprensa, então se você ignorar esses dois pilares, você vai estar afundando sua carreira, para mim é burrice”, disse Guilherme.

Por fim, eles revelaram que a dupla tem músicas inéditas para serem gravadas, e caso o planejamento seja realizado com sucesso, todas serão feitas nessa edição do No Pelo 360°.

No Pelo 360°

Nesta edição, os fãs podem esperar "3 horas de show e muita moda boa", Hugo & Guilherme trazem como convidados Maiara e Maraisa; Hugo e Guilherme; VH e Alexandre e DJ Larissa Lahw.

O show será realizado no estacionamento do Shopping Bosque dos Ipês, no dia 18 de maio.

Ingressos ainda estão à venda, e podem ser adquiridos clicando aqui.

  • Veja partes da entrevista:

 

 

 

Receitas

Confira sete receitas para aquecer o estômago neste frio

Do cafézinho à janta, o Correio B separou indicações de pratos especiais para o tempinho de chuva

24/05/2024 16h15

Sopa de Legumes

Sopa de Legumes Reprodução

Continue Lendo...

A frente fria chegou no Mato Grosso do Sul e com ela vieram o frio e uma chuvinha gostosa! Para aproveitar bem o tempinho, separamos sete receitas deliciosas para se aquecer. Confira abaixo:

Chocolate quente cremoso

chocoquente

Tempo de preparo: 15 min

Rendimento: 4 porções

Ingredientes:

  • 500 ml de leite

  • 1 colher (sopa) de amido de milho

  • 4 colheres (sopa) de achocolatado

  • 1/2 caixinha de creme de leite

Modo de preparo:

  1. Em uma panelinha pequena, fora do fogo, coloque metade do leite, amido de milho e misture com um batedor de arame até ficar bem dissolvido.

  2. Despeje o restante do leite, o achocolatado, misture bem e ligue o fogo baixo até ferver. Assim que ferver, continue mexendo e cozinhe por mais 1 minuto.

  3. Depois desligue o fogo, acrescente o creme de leite e mexa bem. Sirva em seguida com canela em pau.

 

Café cremoso

Cafe cremoso 730x365

Tempo de preparo: 20 min

Rendimento: 20 porções

Ingredientes:

  • 2 xícaras (chá) cheias de açúcar (400 g)

  • 1 sachê de café solúvel (50 g)

  • 1 xícara (chá) de água fervente (240 ml)

Modo de preparo:

  1. Misture o açúcar com o café na tigela da batedeira.

  2. Adicione a água fervente e bata, em velocidade alta, por uns 10 a 15 minutos ou até ficar cremoso.

  3. Transfira para um pote com tampa e conserve na geladeira ou freezer.

  4. Sirva misturado a bebidas como leite, café, cappuccino ou chocolate quente.

 

Sopa de legumes

Sopa de Legumes

Tempo de preparo: 1h

Rendimento: 4 porções

Ingredientes:

  • 1 peito de frango em cubos

  • Sal a gosto

  • Pimenta-do-reino a gosto

  • 2 colheres de sopa de azeite

  • 2 colheres de sopa de manteiga

  • 1 cebola picada

  • 2 colheres de sopa de molho de tomate

  • 2 batatas em cubos

  • 2 cenouras em rodelas

  • 1 talo de salsão fatiado

  • 2 xícaras de chá de repolho em tiras

  • 1 litro e meio de água quente

  • Salsa picada a gosto

Modo de preparo:

  1. Tempere o peito de frango em cubos com sal, pimenta-do-reino a gosto e reserve.

  2. Em uma panela, coloque 2 colheres de sopa de azeite e 2 colheres de sopa de manteiga. Deixe derreter, acrescente o frango reservado e deixe dourar.

  3. Acrescente 1 cebola picada, 2 colheres de sopa de molho de tomate, 2 batatas em cubos, 2 cenouras em rodelas, 1 talo de salsão fatiado, 2 xícaras de chá de repolho em tiras e refogue por 5 minutos.

  4. Adicione 1 litro e meio de água quente e cozinhe por 1 hora.

  5. Finalize com salsa picada a gosto e sirva em seguida.

 

Bolinho de chuva

bolinho de chuva.webp 825x465

Tempo de preparo: 50 min

Rendimento: 30 unidades

Ingredientes:

  • 2 e 1/2 xícaras (chá) de farinha de trigo

  • 1 colher (sobremesa) de fermento químico

  • 1 pitada de sal

  • 2 colheres (sopa) de margarina

  • 3/4 de xícara (chá) de açúcar

  • 2 ovos

  • 350 ml de leite

  • óleo para fritar

  • Açúcar com canela para polvilhar

Modo de preparo:

  1. Peneire a farinha com o fermento e o sal. Reserve.

  2. Bata a margarina com o açúcar e os ovos com um batedor de arame (fouet) até obter um creme fofo.

  3. Adicione a mistura de farinha, alternando com o leite, e mexa até obter uma massa lisa.

  4. Despeje pequenas porções da massa (1 colher de sobremesa) em óleo não muito quente abundante e deixe fritar até dourarem.

  5. Deixe escorrer sobre papel absorvente e sirva quentinhos, polvilhados com açúcar e canela.

 

Escondidinho de mandioca com carne seca

035f923c ddaa 49f3 976c dce60828d622

Tempo de preparo: 40 min

Rendimento: 6 porções

Ingredientes:

  • 2 dentes de alho picados

  • 2 colheres (sopa) de óleo

  • 1 cebola média em gomos finos

  • 1 kg de carne-seca dessalgada, cozida e desfiada

  • 2 colheres (sopa) de salsinha picada

  • 2 colheres (sopa) de cebolinha verde picada

  • 1 pimenta dedo-de-moça pequena sem sementes picada

  • Sal

  • 1,5 kg de mandioquinha (batata-baroa) cozida e passada pelo espremedor ainda quente

  • 4 colheres (sopa) de manteiga

  • 1 xícara (chá) de leite fervente

  • 1 xícara (chá) de queijo meia cura ralado

Modo de preparo:

  1. Frite o alho no óleo até começar a dourar. Adicione a cebola e, quando murchar, junte a carne seca e frite por 1 minuto. Fora do fogo, adicione as ervas picadas e a pimenta. Ajuste o sal e reserve.

  2. Leve a mandioquinha espremida ao fogo médio, junte a manteiga e o leite e mexa até aquecer bem. Tempere com sal a gosto.

  3. Espalhe cerca de metade do purê de mandioquinha no fundo de um refratário quadrado (25 cm) untado com manteiga, distribua o recheio de carne seca e cubra com o restante do purê.

  4. Polvilhe o queijo ralado (mantenha as bordas livres) e leve ao forno médio preaquecido (180 °C) por 20 a 30 minutos ou até dourar. Sirva decorado a gosto.

 

Quentão

c8fa7e566082cd32ac33_640x480_1_1_1_1

Tempo de preparo: 1h

Rendimento: 12 porções

Ingredientes:

  • 300 gramas de açúcar

  • 4 cravos-da-índia

  • 1 canela em pau

  • 7 gramas de gengibre picado

  • 90 mililitros de suco de limão

  • 30 mililitros de mel

  • 2 litros de água

  • 1 litro de cachaça

Modo de preparo:

  1. Em uma panela, coloque o açúcar, os cravos-da-índia, a canela em pau, o gengibre picado, o suco de limão, o mel e a água.

  2. Misture bem os ingredientes, ligue o fogo e deixe cozinhar por 15 minutos após levantar fervura.

  3. Desligue o fogo e reserve.

  4. Coe o caldo e adicione toda a cachaça na panela junto com ele.

  5. Acenda novamente o fogo e aqueça por 5 minutos.

  6. Sua receita de quentão está finalizada! Saúde!

 

Torta de liquidificador

sddefault

 

 

Tempo de preparo: 45 min

Rendimento: 6 porções

Ingredientes:

  • 2 ovos

  • 1 e meia xícara de leite

  • Meia xícara de óleo

  • 1 xícara de farinha de trigo

  • 1 colher de sopa de fermento em pó

  • 1 cenoura ralada

  • 1 lata de milho-verde

  • 1 xícara de queijo muçarela ralado

  • Queijo parmesão ralado a gosto

Modo de preparo:

  1. Em um liquidificador, coloque 2 ovos, 1 e meia xícara de leite e meia xícara de óleo. Bata por 2 minutos.

  2. Em seguida, adicione 1 xícara de farinha de trigo e 1 colher de sopa de fermento em pó. Bata até obter uma mistura homogênea.

  3. Despeje metade mistura do liquidificador em uma forma untada e enfarinhada.

  4. Adicione 1 cenoura ralada, 1 lata de milho-verde e 1 xícara de queijo muçarela ralado.

  5. Em seguida, coloque o restante da massa e acrescente queijo parmesão ralado a gosto.

  6. Leve ao forno preaquecido a 180 graus Celsius por aproximadamente 40 minutos ou até ficar dourada.

  7. Sirva em seguida.

Assine o Correio do Estado 

TEATRO

Escrita há quase 2.500 anos, peça ganha primeira montagem em MS

Com Fernandes F na direção e Thaís Umar no papel principal, "Antígona", tragédia grega de Sófocles, será apresentada hoje e amanhã, às 20h, no Teatro Allan Kardec

24/05/2024 16h00

Divulgação

Continue Lendo...

MARCOS PIERRY

Uma montagem enxuta, sem coro e com apenas cinco atores em cena, de orçamento estimado como “no suor e na raça” pela atriz Thaís Umar, que faz a personagem-título de “Antígona”. É essa a opção do diretor Fernandes F para levar ao palco, pela primeira vez em Mato Grosso do Sul, a tragédia grega de Sófocles, escrita no ano de 442 da era pré-cristã.


No enredo, a luta da heroína de Sófocles para dar um enterro digno a um de seus irmãos, Polinices, que morreu, assim como o outro, Etéocles, na disputa familiar pelo reino de Tebas. Para Creonte (Carlo Fabrizio), que acabou ascendendo ao trono, somente o segundo teria direito às honras fúnebres, contra o que se insurge Antígona.


Henrique Maciel (Hêmon, filho de Creonte e noivo de Antígona), Fábio Rezende (Tirésias) e Pietra Silva (Ismênia, irmã da protagonista) completam o elenco da peça inédita em MS, o que por si só já torna as duas apresentações da curta temporada de estreia, hoje e amanhã, às 20h, no Teatro Allan Kardec (Av. América, nº 653, Vila Planalto) um feito e tanto.


Mas quem conferir o espetáculo poderá se deparar com outros achados, a exemplo da precisão do Creonte de Fabrizio e do vigor com que Thaís vive a personagem que a acompanha há mais de uma década, além do resultado cênico que é fruto de uma adaptação forjada há mais de um ano, a partir de três diferentes traduções, e de seis meses de ensaio.

Os ingressos, a partir de R$ 45 (meia), estão disponíveis na web -https://linktr.ee/antigonaarrebolculturaluems – ou na bilheteria do teatro. A montagem leva a assinatura do Arrebol Cultural UEMS. O Correio B esteve no ensaio geral da peça, na noite de terça-feira, e conversou com Fernandes e Thaís. Confira trechos da conversa.

THAÍS

  • O que tanto lhe atrai e mobiliza na peça e na figura de Antígona?

Por certo, a força dessa heroína, a determinação e o profundo amor que ela demonstra. Ela é um arquétipo que me remete à esperança. Eu tenho uma admiração por essa escrita de Sófocles e esse universo de temas tão profundos e atemporais.

  • Desde quando e como começou essa relação?

Li “Antígona” na época da faculdade [de Filosofia, concluída em 2007] e me interessei muito sobre todo o universo da tragédia. Em 2009, estudando teatro, à época trabalhando muitos textos que versavam sobre o universo feminino e o universo trágico, me encantei com o coro grego, a partir da pesquisa do coro, voltei a me encontrar com a obra.


Em 2010 fiz uma leitura dramatizada com alguns dos meus alunos do Ensino Médio. Fizemos um pequeno grupo no contraturno e lemos “Antígona” algumas vezes. Desde então, eu sabia que em algum momento essa montagem viria, passaram-se anos, deixei um pouco de lado, mas a intenção continuou.

  • Como se deu a aproximação e o diálogo com o Fernandes rumo à criação e à produção da montagem?


Eu estava determinada a montar enfim a peça. Em 2022, retomei o plano e comecei a me organizar e rabiscar, retomar a leitura, estava pensando em quem eu poderia chamar, quem toparia dirigir esse trabalho. Eu já tinha participado de um musical com Fernandes e estava na produção do segundo, mas, poxa, eu nem cogitei chamá-lo, porque para mim ele não toparia, já que imaginei que ele se dedicaria apenas aos musicais, ele já é reconhecido como o diretor dos musicais em Campo Grande. 


No entanto, em outubro de 2022, fui assistir a uma palestra do Fernandes, no Sesc Cultura, em que ele falou sobre seu trabalho e contou sobre sua pesquisa, ali eu descobri que “Antígona” havia sido objeto da pesquisa de mestrado dele, tudo fez sentido. Uma feliz coincidência ou obra do destino, eu não precisaria mais procurar. Ao fim da palestra, eu falei para ele “Fer, a gente precisa montar”, e desde então não deixei mais ele dormir [risos]. Começamos os ensaios de fato em dezembro de 2023.


Depois veio Fabrizio, que também é um estudioso de “Antígona” há anos, como advogado, se aprofundou nas questões sobre Direito que a obra discute, já trouxe um Creonte muito próximo. E veio Pietra para Ismênia, Henrique para Hêmon e Fábio como Guarda e Tirésias, um grupo dedicado e disposto que abraçou o projeto.

  • Como se sente neste momento, às vésperas de estrear o espetáculo?

Este é apenas o início, ainda terá muita pesquisa e dedicação. Acredito que ainda tenho muito a descobrir e aprender com “Antígona”, essa obra é inesgotável, tem muita profundidade ali.

 
Estamos confiantes de que o que temos para esta estreia já é um bom material, nosso objetivo é desafiador, no sentido de manter a linguagem do clássico na atuação. Vamos estrear com muito amor, eu me sinto muito grata ao elenco todo e a todos os amigos, todos os envolvidos. Espero que uma mensagem de amor e esperança chegue ao público. 

FERNANDES

 

  • O que os levou à decisão de preparar essa montagem?

“Antígona” foi tema da minha dissertação de mestrado e, desde então, eu tinha o desejo de montar o texto, o que se tornou realidade quando conheci Thaís e soube do seu sonho em protagonizar o texto.

  • Como foi o processo de aproximação da equipe com o texto e a adaptação?

Foi por meio de várias leituras do texto, assim como de várias análises da peça. Um filme grego também ajudou muito na discussão.

  • Alguma dificuldade maior ou algum grande achado?

Adaptar o texto não foi exatamente fácil, porém, a maior dificuldade foi achar o tom exato das personagens. O grande achado foi descobrir a atualidade do texto, principalmente nas falas de Creonte, o antagonista.

  • Por que “Antígona” e Sófocles permanecem tão atuais?

Por tratarem de temas universais como a solidariedade e, sobretudo, a defesa dos direitos.

  • O que a sociedade contemporânea “aprendeu” ou não com a tragédia grega?

Desconfio que não tenha aprendido muita coisa. Inclusive, citaremos um texto de Millôr Fernandes ao fim da peça que trata exatamente disso. É um privilégio estrear um texto dessa relevância em Campo Grande. Não é exatamente o tipo de peça fácil que todos procuram, mas é com certeza um texto que todos precisam.

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).