Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

EXERCÍCIOS FÍSICOS

"Academias voltaram, maioria dos clientes não", queixa-se empresária

Academias foram autorizadas a reabrir com restrições no último fim de semana
20/04/2020 18:15 - Da Redação


Autorizadas a receber seus clientes desde o último sábado (18), as academias de Campo Grande que reabriram, voltaram com várias restrições, e sem grande parte do volume de clientes. Para voltar a funcionar, os estabelecimentos devem cumprir normas de segurança para evitar o contágio da Covid-19. Entre as exigências estão: lotação máxima de 30%, utilização de máscaras e luvas pelos funcionários e distância mínima de 5 metros entre os alunos.

Depois do decreto, várias academias voltaram a funcionar na segunda-feira, entre elas Top Fitness. Uma das proprietárias, Silmara Sabatine Campelo, disse que o estabelecimento ficou quase um mês parado, o que gerou grande prejuízo para a empresa. “Hoje mesmo clientes ligaram falando que não vão retornar, pedindo para cancelar pacotes. Então a gente além de não ter tido renda no período que ficamos parados, vamos ter que dispor do valor para devolver o dinheiro de quem pagou e não frequentou”.

Os estabelecimentos e profissionais de educação física devem adaptar as aulas, para que não se tenha contato físico entre os alunos e, também, entre aluno e professor. Atividades coletivas só são permitidas em ambientes ao ar livre com atendimento restrito a até 5 pessoas. “30% da capacidade não paga nem as despesas da academia, mas optou por reabrir para não perder nossos alunos, estamos aqui na luta. Nós trabalhamos com musculação, dança, jiu-jitsu, pilates, várias atividades, mas agora só está funcionando a musculação. Cada aluno que entra ganha um kit de higiene com álcool e pano individual, quando eles saem nós descartamos o material, estamos tomando todas as precauções de biossegurança que o prefeito passou no decreto. Os treinos são de 45 minutos no máximo e a gente usa os 15 minutos para higienizar as máquinas”, explicou Simara.

Luana Hng frequenta a academia e disse que mesmo com medo de contrair a doença se sentiu segura ao ver que a empresa tomou todas as medidas de segurança. “A coisa que mais ajuda em continuar com as atividades físicas, é a me sentir melhor com a minha aparência e bem-estar, além de questão de aumentar a imunidade”.

Campo Grande tem 718 unidades de academias e estúdios, e soma 4.955 profissionais de educação física registrados no Conselho Regional de Educação Física de MS. Quem descumprir as medidas podem responder por crimes contra a saúde pública e contra a administração pública em geral. “É complicado a situação né, mas temos que pensar primeiro na saúde. Acredito que quem fez essas normas são pessoas capacitadas, mas mesmo assim o prejuízo é grande”, afirmou Simara.

 

Felpuda


Dia desses, há quem tenha se lembrado de opositor ferrenho – em público –, contra governante da época, mas que não deixava de frequentar a fazenda de “sua vítima” sempre que possível e longe dos olhos populares. Por lá, dizem, riam que só do fictício enfrentamento de ambos, que atraía atenção e votos. E quem se lembrou da antiga história garantiu que hoje ela vem se repetindo, tendo duas figurinhas carimbadas nos papéis principais. Ô louco!