Cidades
INCLUSÃO

Ministério da Educação lança curso para professores ampliarem acolhimento a imigrantes e refugiados

As aulas serão gratuitas, on-line e tem carga horária de 80 horas

FOLHAPRESS

25/06/2022 21:00

Receber alunos estrangeiros pode ser um desafio para professores brasileiros, devido à barreira cultural e linguística. Para que saibam lidar de forma mais acolhedora com esses estudantes, o MEC (Ministério da Educação) lançou neste mês a "Formação de Professores para Acolhimento de Imigrantes e Refugiados".

O objetivo, segundo a pasta, é preparar os docentes de educação básica para ter um olhar mais atento a esse universo, ao apresentar-lhes aspectos históricos, sociais e educacionais associados aos refugiados.

As aulas, gratuitas, são opcionais e serão disponibilizadas em uma plataforma virtual de ensino do MEC, com carga horária de 80 horas. A Secretaria de Educação Básica do ministério informa ainda que indica a capacitação aos professores que trabalham com alunos em situação de migração no Brasil.

"O curso tratará de práticas pedagógicas capazes de auxiliar o educador no processo de redução de danos psicológicos, além da inclusão de imigrantes e refugiados na sociedade brasileira", afirma Renato Brito, chefe da Diretoria de Formação Docente e Valorização dos Profissionais da Educação, do MEC.

A diretora Solange Cordeiro dos Santos, 54, e a professora Edneia Letícia Marguti, 40, trabalham juntas na escola Diretora da escola municipal de educação infantil Guilherme Rudge, no Belenzinho, na zona leste de São Paulo, Solange Cordeiro dos Santos, 54, vai estimular os 11 professores com os quais trabalha a fazer o curso. 

A maioria dos alunos da escola é estrangeira, 60%, da Bolívia, do Paraguai e de países da África. "Temos essa experiência consolidada com estudantes de outros países. Mas essa ferramenta vem para somar."