Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

LUTO

Advogado morre de Covid-19 20 dias após irmão perder luta contra um cancêr

Eduardo era irmão do médico Silvio Haddad, que morreu no último dia 25 de julho
13/08/2020 17:15 - Da Redação


Eduardo Haddad Filho, de 59 anos, também foi vítima da covid-18, nesta quinta-feira (13). Ele era irmão do médico e sommelier Silvio Haddad, de 65 anos, que perdeu a luta contra um cancêr há 20 dias atrás. Eduardo era advogado, professor e ex-ouvidor-geral de Campo Grande, na gestão de Gilmar Olarte. 

Haddad Filho estava internado em um leito da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) desde o começo de agosto. Nas redes sociais, familiares e amigos lamentaram a morte do advogado. "Mais um amigo que perdeu a batalha para o coronavírus. Enquanto isso milhares continuam a usar a máscara com o nariz de fora ou nem a usam. Descanse em Paz Eduardo Haddad", escreveu um. 

"[...] dotado de uma inteligência absoluta e de um bom humor ilimitado... As reuniões familiares ficavam sempre mais divertidas com a presença dele, não tinha tempo ruim", postou um familiar. 

A Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Mato Grosso do Sul (OAB/MS) emitiu nota de pesar pelo falecimento de Haddad. Para o Presidente da OAB, Mansour Elias Karmouche, esta é mais uma lamentável perda. “Eduardo Haddad Filho foi um advogado que muito contribuiu para a nossa entidade e para o serviço público de Campo Grande. A OAB/MS está profundamente consternada com esse passamento”.

O sepultamento - sem velório por se tratar de uma vítima de coronavírus - estava programado para a tarde desta quinta-feira, no cemitério Jardim das Paineiras. 

 
 

Felpuda


A lista do Tribunal de Contas de MS, com nomes de gestores que tiveram reprovados os balanços financeiros de quando exerceram cargos públicos, está deixando muitos candidatos de cabeça quente.  Conforme previsto pelo Diálogo, adversários estão se utilizando de tais dados para cobrar, principalmente nas redes sociais, deixando alguns gestores na maior saia justa e tendo que se explicar. O eleitor, por enquanto, só observa. E dê-lhe!