Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

INTERIOR

Agehab dá dez dias para mutuários regularizarem dívidas

Se inadimplência persistir, agência pode processar beneficiário
16/09/2019 18:42 - ADRIEL MATTOS


A Agência de Habitação Popular de Mato Grosso do Sul (Agehab) concedeu prazo de dez dias para mutuários regularizem dívidas junto à instituição. Os editais de notificação foram publicados na edição desta segunda-feira (16) do Diário Oficial Eletrônico do estado.

Beneficiários dos municípios de Camapuã, Corguinho, Ladário, Miranda e Rio Verde de Mato Grosso devem entrar em contato com o departamento de habitação do município ou entrar em contato com a Agehab pelos telefones (67) 3348-3120/3144/3151, das 7h30 às 16h30. A não regularização pode levar a autarquia a processar judicialmente o mutuário. A lista com os inadimplentes está disponível a partir da página 49 do Diário Oficial.

DÍVIDAS

Mutuários da agência - que desde que foi inaugurada, em 1979, construiu 107.177 unidades habitacionais em todo o Estado - possuem dívidas que somam R$ 88 milhões em parcelas não pagas de 19.758 residências, conforme noticiou o Correio do Estado em dezembro de 2018. Caso os débitos fossem quitados, o Estado poderia construir 977 casas de até R$ 90 mil cada, custo médio de uma unidade, segundo a instituição.

Na época, 53.456 pessoas estavam na fila para receber uma casa, de acordo com dados da Agehab. Eram 25.857 inscritos somente em Campo Grande, a cidade com maior demanda. Porém, outras quatro cidades – Anaurilândia, Angélica, Corguinho e Miranda – tinham apenas uma família na fila.

Felpuda


Com trabalho suspenso, por causa da Covid-19, investigação parou sem ter começado e, agora, dois dos cabeças do grupo de trabalho estão “chovendo no molhado”. Assim, para continuar, digamos, em evidência, vêm divulgando sobre a “firmeza” de ambos em “dar continuidade”, tão logo acabe a pandemia que, assim como os resultados dos trabalhos, são incógnitas que só. Portanto, melhor seria aguardar o desenrolar dos acontecimentos para sair “cantando de galo”.