Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

MUDANÇA

Prefeitura prorroga prazo para pagamento de parcelas de casas populares

Decreto publicado no Diário Oficial do Município dá desconto de 15% para adimplentes
02/04/2020 13:33 - Súzan Benites


 

Publicada na edição desta quinta-feira (2) do Diário Oficial de Campo Grande, a portaria nº 009/2020 da Agência Municipal de Habitação e Assuntos Fundiários (AMHASF), que autoriza a prorrogação dos prazos para pagamento das parcelas de mutuários. A medida serve para aqueles que estavam com os seus contratos em dia até o início das ações emergenciais de prevenção e combate ao novo coronavírus (Covid-19) na Capital.

De acordo com a publicação, o prazo foi estendido para o pagamento das parcelas dos financiamentos de adimplentes com prestações vencidas (ou a vencer) entre os dias 23 de março de 2020 e 6 de abril de 2020. O intervalo corresponde aos dias em que a Agência esteve fechada.

A portaria ainda definiu que o pagamento dessas prestações pode ser realizado entre os dias 7 e 14 de abril de 2020, sem a incidência de encargos e com desconto de 15%. 

De acordo com o diretor-presidente da AMHASF, Enéas Netto, a medida visa proteger e auxiliar o mutuário adimplente neste momento de dificuldade financeira.

 “Sabemos que a situação atual, em termos econômicos, inspira cautela. Em meio a esse cenário, a decisão da prorrogação do prazo de pagamento e o desconto nas parcelas que venceram durante o período de atendimento temporariamente suspenso na sede da AMHASF, é muito importante. Esses mutuários têm cumprido corretamente com as suas obrigações de pagamento junto à Agência e são eles que possibilitam a criação de novos programas habitacionais sociais”, reforçou o diretor-presidente.

Felpuda


Pré-candidato a prefeito de Campo Grande divulgou vídeo em que político conhecido Brasil afora anuncia apoio às suas pretensões. O problema é que o tal líder já andou sendo denunciado por mal feitos em sua trajetória, sem contar que o pai do dito-cujo teve de renunciar ao cargo de ministro por ter ligações nebulosas com empresa de agrotóxico. Depois do advento da internet, essa coisa de o povo ter memória curta hoje não passa de coisa “da era pré-histórica”.