Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ESTADO DE URGÊNCIA

Anestesistas do Servan criam dinâmicas de atendimento durante pandemia

Equipes se preparam para realizar intubações emergenciais, em atendimento durante 24 horas
24/03/2020 08:16 - Camila Andrade Zanin


 

Na rotina de um anestesiologista, está, além dos cuidados com a dor, a missão de cuidar da vida dos pacientes. Estes profissionais são responsáveis pela intubação e manobras de salvamento, dentro dos hospitais e com o Covid-19 estes médicos fazem a diferença no atendimento.

Responsável pelo serviço médico na área de anestesia, o Servan atende grande parte dos hospitais de Campo Grande, tais como Santa Casa, Unimed, Maternidade Cândido Mariano, Hospital do Câncer, entre outros. Para que não haja falta de assistência nestes hospitais, a empresa está estruturando uma escala de atendimento que funcionará 24 horas, sete dias por semana. A prioridade é para as cirurgias de urgência e emergência.  

Neste momento de crise, a equipe ficará responsável pelos atendimentos da Santa Casa de Campo Grande e do Hospital Unimed, devido ao fluxo de pessoas neste local e pela quantidade de profissionais que o Servan dispõe para as demandas, que são de 100 médicos.  

O atual diretor financeiro do Servan, o médico João Maximiano Pierin de Barros, explica que as equipes estão com bastantes informações para realizar as intubações com baixo risco de contaminação. “Instituímos uma comissão interna para tratar da Covid-19, que dará suporte a todos os médicos anestesistas, orientando quanto à melhor conduta para proteção pessoal e para evitar a disseminação do vírus”. A equipe também trabalha junto às diretorias dos hospitais, para que seja possível o acesso a equipamentos de proteção individual (EPI), tais como máscaras, luvas, óculos, capotes, etc.“Estes EPIs são de fundamental importância para a segurança de toda a população. Sem os mesmos será impossível praticarmos uma medicina de qualidade”, afirma o médico.

Além do Servan, a preocupação dos especialistas em anestesia vai além. A Sociedade de Anestesiologia, Reanimação e Dor do Mato Grosso do Sul (SAEMS), passou orientações à população e esclarece sobre a nova dinâmica de atendimento durante o caos da pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Além das disposições que já são designadas desde o início, como ficar em casa, evitar aglomerações, e cuidado redobrado com idosos e grupos de risco, outras medidas estão sendo repassadas.

Dentre as novas demandas, a sociedade ressalta que a população não pode estocar máscaras e álcool em gel, visto que essa atitude prejudicará outras pessoas. As máscaras têm recomendações específicas para quem deve utilizá-las, e o álcool em gel pode ficar em falta para quem está trabalhando em campo, na luta contra o Covid-19 e realmente vai precisar.

É válido lembrar que as exportações de alimentos estão terminantemente proibidas, e que não há necessidade de estocar alimentos. Os hospitais estão criando medidas para atenderem às novas demandas necessárias, como capacitações e preparo profissional das equipes.  

As cirurgias que tem a possibilidade de espera, poderão ser desmarcadas. Todos os médicos do grupo de risco estão sendo retirados das áreas de maior contágio, e os que tiveram contato com pessoas infectadas, sem a devida proteção, agora estão isolados de quarentena.

 

Felpuda


Nos bastidores, há quem garanta que a única salvação, de quem está com a corda no pescoço, é ele aceitar ser candidato a vice-prefeito em chapa de novato no partido. Vale dizer que isso nunca teria passado por sua cabeça, uma vez que foi eleito com, digamos, “caminhão de votos”. Se aceitar a imposição, pisaria na tábua de salvação; se recusar, poderá perder o mandato. Ah, o poder!