Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

REDE DE ESGOTO

Apenas 44% das moradias de MS têm banheiro com atendimento de esgoto, aponta PNS

Pesquisa de saúde mostra que apesar de aumento, estado se mantém abaixo da média nacional
04/09/2020 15:54 - Rodrigo Almeida


Serviços básicos e essenciais para o desenvolvimento e qualidade de vida ainda estão abaixo do ideal. Segundo a Organização mundial da Saúde (OMS), medidas sanitárias básicas são responsáveis por queda de indicadores educacionais em países pobres ou emergentes. 

O que parece ser algo muito distante da realidade do sul-mato-grossense, na verdade, é bem mais comum do imaginamos. 

De acordo com a Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) de 2019, 44% das moradias do estado possuem banheiro com acesso a esgoto. 

Isso corresponde a 420 mil dos domicílios do estado. Dentro dessa conta estão os banheiros ligados à rede geral de esgoto ou fossa séptica ligada à rede. O número é baixo se comparado à média nacional de 66%. 

Apesar de parecer ruim, o número houve avanço desde a última consulta, feita em 2013. Desenvolvida pelo Instituo Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a PNS daquele naquele ano apenas 30,2% dos domicílios do MS tinham banheiros com atendimento à rede de esgoto. 

De acordo com a pesquisa, a disparidade no Brasil é enorme. São Paulo tem a melhor cobertura, 92,2% em 2019, contra 8,8% do pior estado, Rondônia. 

Já relacionado à coleta de lixo, MS se mantém dentro da média nacional com 93% dos domicílios atendidos pelo serviço de limpeza, diretamente ou em caçamba, o equivalente a mil unidades domiciliares. A média nacional foi de 92%. 

 
 

Felpuda


Os bastidores fervem com a ciumeira que vem acontecendo em alguns municípios, onde determinados candidatos estariam sendo mais prestigiados que outros depois das alianças que foram formalizadas nas convenções. As queixas só aumentam, e as lideranças partidárias já não sabem o que fazer, temendo a possibilidade de que a vitória vá para o ralo. A bronca maior está entre integrantes das chapas puras de vereadores que se coligaram na majoritária. E salve-se quem puder!