Clique aqui e veja as últimas notícias!

OBRAS

Apenas uma empresa disputa licitação do Aquário do Pantanal

De acordo com Agesul, certame é para concluir a parte civil do prédio
11/02/2021 12:24 - Rafaela Moreira


A Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos de Mato Grosso do Sul (Agesul) habilitou apenas uma empresa para concluir a parte civil do Aquário do Pantanal, conforme divulgado nesta quinta-feira (11), em edição do Diário Oficial do Estado.

A Construtora Maksoud Rahe foi a única habilitada, enquanto a PGC Engenharia de Obras ficou fora da concorrência para a conclusão da parte civil do prédio. O prazo para recursos vai até o dia 22.

Últimas notícias

Caso não seja interposto nenhum, a sessão pública de abertura dos envelopes com as propostas será às 16h de 25 de fevereiro. 

A última licitação aberta foi no dia 28 de janeiro, o certame já havia sido lançado em novembro de 2020, mas foi declarado como deserto no dia 20 de janeiro após nenhuma empresa demonstrar interesse.

Em novembro, outras duas licitações foram finalizadas pelo Governo do Estado. Os contratos somavam cerca de R$ 5 milhões, um deles era para a conclusão do sistema de climatização e o outro para a revisão e finalização dos serviços de estrutura metálica das passarelas.

Ao todo, serão doze licitações para a conclusão da obra. Dessas, dez já foram licitadas e apenas duas concluídas, sendo a substituição dos vidros e a cobertura metálica do prédio.

Os dois processos que ainda serão publicados envolvem as partes de automação e elétrica, e deverão ser divulgados ainda neste mês.

A pandemia de Covid-19 ocasionou atraso na entrega de materiais e produtos necessários para a continuação dos serviços, o que gerou ainda mais atraso na conclusão da obra.

Dez anos de obras

Até agora, desde que as obras do Aquário foram retomadas, em novembro de 2018, foram gastos cerca de R$ 13 milhões, dos R$ 40 milhões que eram previstos para que a estrutura fosse finalizada.

A obra vem sendo executada há quase 10 anos, seu lançamento foi em 23 de maio de 2011, na gestão do ex-governador André Puccinelli (MDB), e deveria ser entregue em 11 de outubro de 2013, no aniversário de criação de Mato Grosso do Sul.

Licitada em R$ 84,7 milhões, a obra já sofreu várias alterações e os gastos ultrapassam R$ 250 milhões. O Aquário do Pantanal foi criado com o intuito de ser o maior aquário de água doce do mundo e a maior construção turística de Campo Grande.

Instalado em uma área de quase 22 mil m², no Parque das Nações Indígenas, o Centro contará com 32 tanques (24 internos e oito externos) da ictiofauna pantaneira (peixes e répteis), mais de 5,4 milhões de litros de água e um sistema de suporte à vida com condições reais do habitat.

Os trabalhos de construção foram retomados em novembro de 2018, quando o governo anunciou que seriam necessários R$ 40 milhões para recuperar o que foi danificado com o tempo e concluir a construção.

Assine o Correio do Estado