Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

OPERAÇÃO LIMPA PÁTIO

Após anos superlotado, pátio do Detran é esvaziado

Últimos veículos apreendidos foram retirados hoje e irão a leilão
09/06/2020 17:08 - Glaucea Vaccari


 

Depois de anos superlotado, pátio de veículos apreendidos do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MS) foi esvaziado nesta quinta-feira (9), após a remoção de da última motocicleta que estava no local.

Veículos que estavam no local foram encaminhados para pátios de leiloeiros credenciados, como parte da Operação Pátio Zero, iniciada em março deste ano.  

“Isso irá facilitar o fluxo de processos, auxiliar na separação dos lotes para os próximos leilões e o controle da apreensão nos pátios terceirizados”, disse a coordenadora de leilão do Detran, Sandra Regina Vera Celestino.

De março até abril, foram removidos mais de dez mil veículos de pátios das agências em todo o Estado.  

Conforme o diretor-presidente do Detran-MS, Rudel Trindade, a operação continua no decorrer do ano, pois ainda há veículos apreendidos no interior.  “Toda semana temos veículos sendo removidos e o intuito é que os pátios sejam esvaziados até o fim do ano”, disse.

Mais dois leilões com veículos em condições para circulação terão os processos abertos na próxima semana.  

Em Campo Grande, o Detran-MS tem convênio com duas empresas, Autotran Transporte e Serviços Rodoviários Eireli e a AL Industrial Ltda., que recebem desde o ano passado veículos, a partir de sua apreensão em blitz ou checagens de rotina. A contratação desse serviço teve início em fevereiro de 2019, com a transferência de 1,8 mil veículos que estavam no pátio da Capital, o qual estava superlotado.  

Já para o leilão, o departamento estadual tem cadastradas dez empresas de leiloeiros oficiais que atuam com a concorrência dos veículos apreendidos que não são reclamados por seus proprietários.  

Vão a leilão os veículos apreendidos que não são reclamados pelos proprietários dentro do prazo. Para retirar o veículo, é necessário quitar todos os débitos, como licenciamento e multas, e pagar a taxa de estadia pelo período que o automóvel ficou no pátio. No caso das motocicletas, o órgão cobra R$ 4,55 por dia que o veículo permaneceu no pátio da instituição. Em relação aos carros, o valor é de R$ 21,25 por dia. A cobrança, no entanto, é limitada ao máximo de 180 dias. 

 

Felpuda


É quase certo que a aposentadoria deverá ocorrer de maneira mais rápida do que se pensava em determinado órgão. O que deveria ser a tal ordem natural dos fatos acabou sendo atropelada por acontecimentos considerados danosos para a imagem da instituição. Os dias estão passando, o cerco apertando e já é praticamente unanimidade de que a cadeira terá de ter substituto. Mas, pelo que se ouve, a escolha não deverá ser com flores e bombons de grife.