Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PANDEMIA

Após Guia Lopes, Brasilândia é o novo foco de casos da Covid-19

Município já contabiliza 15 casos confirmados e uma morte e tem a 2ª maior incidência do Estado
14/05/2020 09:30 - Daiany Albuquerque


Brasilândia, a 383 quilômetros de Campo Grande, é o segundo município com a maior incidência de casos da Covid-19 por 100 mil habitantes em Mato Grosso do Sul. Até as 10h de ontem, eram 15 casos confirmados e uma morte, em um município com 11.872 pessoas, o que representa uma taxa de 126,3. Esse número só não é maior do que o de Guia Lopes da Laguna, onde os casos têm aumentado rápido (ontem, eram 46). A incidência na cidade é de 464,9 a cada 100 mil habitantes. O município tem 9.895 moradores.

Segundo o prefeito de Brasilândia, entretanto, todos os casos confirmados da doença ainda giram em torno de uma festa familiar realizada no dia 1º de maio, Dia do Trabalho. Dos 15 confirmados, apenas dois não estiveram na comemoração, entretanto, são funcionários do participante, que morreu nesta quarta-feira em decorrência da doença.

“Estamos com medidas bem restritas, mas falta as pessoas cumprirem, acredito que essa morte assusta um pouco e as pessoas vão começar a respeitar mais”, declarou o prefeito Antônio de Pádua Thiago (MDB). Um dos casos confirmados, uma senhora de 70 anos está internada em Três Lagoas, cidade vizinha, e seu estado é grave, porém estável.

Em Brasilândia, apenas as atividades essenciais estão em funcionamento ao público, o restante apenas por meio de delivery. Mesmo nos locais onde é permitida a entrada de pessoas isso está sendo feito respeitando um limite determinado pela administração.

O uso de máscaras também é obrigatório na cidade e está proibida a aglomeração de mais de três pessoas. “No Dia das Mães, percebemos que as pessoas não estavam acatando as medidas de isolamento, mas agora acredito que nosso isolamento já passa dos 50% de adesão”, estima Thiago.

O município ainda tem outros dois casos suspeitos, de pessoas que também estiveram na festa. O prefeito acredita que até o fim de semana mais casos sejam confirmados, mas ele avalia que, com as medidas de isolamento, a doença não afete mais nenhuma pessoa nos últimos dias do mês. Mesmo sob essa perspectiva, Thiago afirma que manterá as medidas mais restritivas até o fim de maio, mesmo se não houver novos casos em investigação. “Não pretendo bobear, mesmo que não tiver mais casos confirmados, vamos manter as restrições”.

Guia Lopes

Na cidade com a maior incidência de casos do Estado, a preocupação é grande porque, conforme o prefeito Jair Scapini (PSDB), ainda há pessoas que desrespeitam o lockdown implantado desde a semana passada. “Acabei de chegar à secretaria e passei por uma casa onde havia cinco pessoas sentadas, todas próximas umas as outras, conversando. Dentro das casas eu não posso fazer nada”.

De acordo com o prefeito, um carro de som tem percorrido a cidade para informar a população sobre as medidas de isolamento mais restritivo que a cidade tomou e sobre a doença, mas, ainda assim, há pessoas que não acreditam na gravidade do novo coronavírus.  

“Vai estourar de casos nos próximos dias, reflexo do Dia das Mães, em que muito fizeram confraternizações, e das rodas de tereré e de mate”, contou. Além dos 46 casos confirmados, Guia Lopes tem mais 10 em investigação e está monitorando mais de 100 pessoas que apresentaram algum sintoma da doença. O primeiro caso foi notificado no dia 2 de maio e, em pouco mais de 10 dias, os registros cresceram muito.

O prefeito contou que nesta semana um homem foi reclamar porque teriam impedido ele de trabalhar, porém, quando ele ouviu a história, percebeu que o rapaz, que é pedreiro, queria concluir uma obra em uma casa onde havia um caso confirmado da doença. “É complicado, o povo não acredita muito ainda”.

O município é o único do Estado até agora a ter entrado em quarentena, com restrição de circulação de pessoas de acordo com a data de nascimento. Além disso, Guia Lopes deverá ter barreiras sanitárias, como as que foram instaladas pelo governo do Estado nas rodovias, mas essas seriam dentro da cidade. Os detalhes disso foram discutidos em reunião no fim da tarde de ontem.

O terceiro município do Estado com maior incidência de casos é Sonora, que tem 13 confirmados da Covid-19 e taxa de 67,4 por 100 mil habitantes.

Apesar de o maior número de doentes estar em Campo Grande (162), a incidência na Capital ainda é baixa, com 18,1. Três Lagoas, com 75 casos, é a quarta em ocorrência a cada 100 mil habitantes, com 61,8.

 
 

Felpuda


Apressadas que só, figurinhas tentaram se “apoderar” do protagonismo de decisão administrativa. Não ficaram sequer vermelhas quando se assanharam todas para dizer que tinham sido responsáveis pela assinatura de documento que, aliás, era uma medida estabelecida desde 2019. Quem viu o agito da dupla não pode deixar de se lembrar daquele pássaro da espécie Molothrus bonarienses, mais conhecido como chupim, mesmo. Afe!