Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ENSINO SUPERIOR

Após reunião de diretores, volta das atividades na UFMS é incerta

Reitor disse que não vai liberar retorno sem segurança e que cada caso será avaliado
05/05/2020 07:44 - Ricardo Campos Jr


 

“Sem segurança, não tem retorno presencial”. A frase foi dita pelo reitor da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Marcelo Turine, em reunião com todos os diretores das faculdades, institutos, escolas e campus da instituição nessa segunda-feira (4).

A previsão inicial era de que as atividades fossem retomadas a partir do dia 18, mas no encontro ficou decidido que não haverá uma data única.

Segundo informações da assessoria de imprensa da instituição, o Plano Local de Biossegurança vai analisar o cenário de cada local e de cada curso para uma “eventual volta, no momento mais adequado”.

Turine destacou que esse retorno ainda é incerto e disse que a UFMS precisa estar preparada para essa nova realidade.

Cada cidade que tem um campus da instituição adotou regras sanitárias diferentes e tem situações peculiares diante da Covid-19, algumas sequer têm casos confirmados.

Isso será levado em consideração antes de decretar o retorno dos estudantes e servidores que cumprem jornada em casa atualmente.

A recomendação é que a direção converse com os coordenadores de curso, professores, técnicos-administrativos e estudantes, esclarecendo as dúvidas. Cada espaço da UFMS será organizado para receber materiais adequados para atender às recomendações de saúde.

 

Felpuda


Devidamente identificadas as figurinhas que agiram “na sombra” em clara tentativa de prejudicar cabeça coroada. Neste segundo semestre, os primeiros sinais começarão a ser notados como reação e “troco” de quem foi atingido. Nos bastidores, o que se ouve é que haverá choro e ranger de dentes e que quem pretendia avançar encontrará tantos, mas tantos empecilhos, que recuar será sua única opção na jornada política. Como diz o dito popular: “Quem muito quer...”.