Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CORONAVÍRUS

Assim como prefeitura, governo também fecha parques e centros esportivos

Determinação deverá ser publicada em decreto publicado no Diário Oficial de sexta-feira
19/03/2020 16:54 - Daiany Albuquerque


O Governo do Estado fechará todos os parques e centros esportivos de Mato Grosso do Sul sob a sua administração. A medida, que deverá ser publicada em decreto no Diário Oficial do Estado de sexta-feira (20), foi anunciada nesta tarde pelo governador Reinaldo Azambuja (PSDB), durante live nas redes sociais do governo.

Nesta quinta-feira a Prefeitura de Campo Grande já havia tomado essa medida nas praças e parques da Capital. A determinação é uma forma de reduzir a circulação de pessoas e tentar conter o avanço do Covid-19, o novo coronavírus, declarado como pandemia pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

“Todos os parques e principalmente os centros esportivos estaduais nós vamos proibir a visitação. Isso é importante para evitar o que acontece nos finais de semana, que muitas pessoas se aglomeram fazendo exercício, para uma confraternização, e nesse momento nós temos que manter essas pessoas dentro de casa, é muito importante termos essa consciência, preservar principalmente os nossos idosos. É muito importante eles estarem em casa e não receberem a visita de gente de fora”, declarou Azambuja durante o vídeo.

A publicação também decreta emergência em saúde em Mato Grosso do Sul por conta do novo coronavírus. Boletim epidemiológico divulgado nesta quinta-feira pela Secretaria de Estado de Saúde (SES) mostrou que subiu para nove o número de casos confirmados no Estado, são oito em Campo Grande e um em Sidrolândia.

 

Felpuda


É quase certo que a aposentadoria deverá ocorrer de maneira mais rápida do que se pensava em determinado órgão. O que deveria ser a tal ordem natural dos fatos acabou sendo atropelada por acontecimentos considerados danosos para a imagem da instituição. Os dias estão passando, o cerco apertando e já é praticamente unanimidade de que a cadeira terá de ter substituto. Mas, pelo que se ouve, a escolha não deverá ser com flores e bombons de grife.