Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PROCON

Atacadistas são notificados para explicarem aumento excessivo no preço de alimentos

Arroz, feijão e óleo de soja tiveram maiores altas e várias denúncias chegaram ao Procon
09/09/2020 10:43 - Glaucea Vaccari


Denúncias de aumentos excessivos nos preços de alimentos levou a Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor (Procon) a notificar três redes atacadistas para explicarem o motivo das altas nos valores.  

Conforme o Procon, unidades do Assaí, Atacadão e Fort Atacadista devem, no prazo de dez dias, apresentarem os esclarecimentos, com apresentação de documentos que justifiquem a elevação.

Objetivo é apurar se está ocorrendo vantagens manifestamente excessivas com a alta nos preços sem causa qu possa justificar, o que configura prática abusiva.  

Aumentos consideráveis, quando comparados a semanas anteriores, foram aplicados principalmente nos preços do arroz, feijão e óleo de soja.

Superintendente do Procon, Marcelo Salomão, disse que muitas pessoas perderam o emprego ou tiveram o salário reduzido na pandemia e o aumento excessivo piora essa situação.

“ O contexto em que vem ocorrendo as elevações de preços é totalmente desfavorável ao cidadão que se encontra com sua economia abalada, notadamente nesta época de pandemia”, disse.

Supermercadistas afirmam que os aumentos resultam da ampliação da exportação devido à valorização das commodities alavancada pelo aumento do dólar.

Além disso, alegam que os reajustes chegam em cadeia que envolve o produtor, o distribuidor e o comerciante e, no fim da linha, está o consumidor, que acaba sentindo no bolso.

Caso os atacadistas não prestem as informações solicitadas na notificação, se configura conduta infracional consumerista, passível de sanção administrativa.

 
 

Felpuda


Casal de políticos muito conhecido a-do-ra cargos públicos, e, assim, “um puxa o outro” na maratona política, que inclui disputa de mandatos, direção de órgãos e até mesmo nomeações com prerrogativa de não ter de bater ponto. A nova empreitada agora é conquistar uma das prefeituras do interior. Em caso de derrota, é quase certo que os nomes de ambos deverão aparecer no Diário Oficial antes mesmo do fim deste ano.