Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

MUDANÇAS

Até o fim deste ano, dez obras públicas podem ser entregues em Campo Grande

Trabalhos de drenagem e pavimentação nos bairros de Campo Grande somam R$ 50 milhões em investimentos
26/08/2020 10:30 - Nyelder Rodrigues


Campo Grande chega aos seus 121 anos com frentes de trabalho espalhadas por toda a cidade, em obras públicas que exigem investimento da prefeitura, seja via repasse estadual ou financiamento federal, principalmente na área de pavimentação e drenagem de águas pluviais. 

Pelo menos 10 dessas obras devem ser entregues ainda este ano.

O custo das construções em andamento passa da casa dos R$ 50 milhões, beneficiando em especial os moradores da periferia da cidade. 

No Bairro Nova Lima, os trabalhos já estão na terceira etapa, no setor B do bairro, e possuem preço estimado em R$ 20 milhões.

Na Vila Nasser, outra importante obra de drenagem e pavimentação na região norte de Campo Grande, o investimento deve ficar na casa dos R$ 16 milhões, segundo o secretário municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos, Rudi Fiorese.

“São obras importantes e que vão melhorar a qualidade de vida da população. Certamente, vão resolver muitos problemas existentes, que são alvo de reclamações constantes e antigas dos moradores dessas áreas beneficiadas”, afirmou o secretário.

Ele também citou obras de pavimentação e drenagem de águas pluviais em outros bairros de Campo Grande, como José Tavares, Atlântico Sul (que está na etapa C) e Sírio Libanês, e o recapeamento da Avenida Florestal, no Bairro Coophatrabalho. No Jardim Tijuca, são duas frentes, uma no setor A e outra no setor B.

No Jardim Seminário, nas proximidades da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), também estão sendo feitas obras nesse sentido nas ruas São Faustino e Marechal Câmara. 

“Isso vai facilitar o acesso para todos que ali estudam. São 10 mil pessoas beneficiadas”, frisou o prefeito Marcos Trad (PSD), em live feita em junho.

 
 

Recapeamento

Durante a live, Trad ainda citou obras já concluídas, como a revitalização da Avenida Marinha, uma das principais do Coophavila II, e a drenagem e pavimentação da Vila Lídia – próximo à Avenida Tamandaré e ao Jardim Seminário. “Me falam: ‘Finalmente acabou aquela poeira depois de 30 anos aqui no Santa Luzia’”, destaca.

Na Vila Lídia, são alvo de intervenção pelo menos sete vias. “As ruas são: Teodomiro Serra; Araras; Luiza Ribeiro; 2 de Outubro; Bem-te-vi; Doutor Laureano; e Seriema”, comentou o prefeito à época. Por causa da legislação eleitoral, Marcos Trad, que concorre à reeleição, teve de se abster de realizá-las a partir de agosto.

As intervenções já realizadas incluem obras nas ruas Babacal (Coophatrabalho), Júlio Maksoud (Bairro Monte Castelo), Rodolfo José Pinho (Jardim São Bento) e Avenida Tamandaré, além de um trabalho de controle de enchentes no Jardim Paradiso, perto do Conjunto União, na Região Urbana do Lagoa.

Parte do recapeamento da Avenida José Nogueira Vieira, no Bairro Tiradentes, já foi entregue, assim como o recapeamento da Rua Marquês de Lavradio. 

Contudo, as obras prosseguem, e em segunda etapa. No caso da José Nogueira Vieira, o trabalho vai continuar até chegar a conexão com a Avenida Ministro João Arinos.

 Outras obras

Fora as obras de asfaltamento, outros trabalhos importantes são desenvolvidos em Campo Grande no âmbito da Pasta de Infraestrutura e Serviços Públicos. 

“Retomamos a [Avenida] Ernesto Geisel, que é uma obra muito importante para se evitar problemas futuros naquela região”, destacou Rudi Fiorese à reportagem.

Cerca de 70% da obra, com custo total avaliado em R$ 52 milhões, já foi executado. A revitalização do local objetiva conter águas pluviais, transbordamentos e deslizamento das bordas. 

A atual etapa da reforma acontece na altura do cruzamento da Avenida Ernesto Geisel, que segue o curso do Rio Anhanduí, com a Rua Santa Adélia.

“Também estamos com obras de Emeis [Escolas Municipais de Ensino Infantil] nos bairros Zé Pereira e Vila Popular e as reformas nos parques. Estamos com obras nas piscinas dos parques Jacques da Luz e Ayrton Senna. Somando tudo, é muito significativo”, disse Fiorese.

Entre as obras já anunciadas, cuja execução deverá ficar para o próximo ano, estão a ligação das Moreninhas com o Rita Vira, por meio de ampliação e extensão da Avenida Rita Vieira de Andrade a partir do Bairro Itamacará, e a interligação do São Conrado com o Nova Campo Grande e o Jardim Inápolis, na região do Indubrasil.

A primeira obra deverá receber recursos do governo do Estado, por meio do programa Governo Presente, enquanto a segunda contará com repasse de emenda da bancada sul-mato-grossense em Brasília (DF). 

Devem ser estendidos e asfaltados trechos das avenidas Wilson Paes, General Alberto Carlos Mendonça e Jamil Nahas.

Parceria

Parceria entre Prefeitura de Campo Grande e governo do Estado já rendeu liberação de R$ 1,3 bilhão para obras de pavimentação, drenagem, recapeamento e até construção de moradias populares na capital sul-mato-grossense.  

 

Felpuda


Depois de se “leiloar” durante meses, e afirmando que estava até escolhendo o município para se candidatar a prefeito, ex-cabeça coroada não só não recebeu acenos amistosos, como também não encontrou portas abertas com tapete vermelho a esperá-lo. 

Assim, deverá pendurar as chuteiras e fazer como cardume em seu pesqueiro: nada, nada...