Clique aqui e veja as últimas notícias!

EDUCAÇÃO

Aulas 100% presenciais não voltam este ano no município, diz secretária

Secretária de Educação avalia que retorno de todos os alunos presencialmente não ocorre em 2021
02/02/2021 08:30 - Daiany Albuquerque


As aulas na Rede Municipal de Ensino (Reme) terão início na segunda-feira (8), em Campo Grande. Neste primeiro momento, as aulas serão completamente remotas para todas as turmas, por causa da pandemia da Covid-19, mas a Secretaria Municipal de Educação (Semed) já avalia quando haverá a volta de forma híbrida, com atividades remotas e outras presenciais. 

A titular da Pasta, Elza Fernandes Ortelhado, avalia que neste ano não deve haver a volta de 100% dos estudantes de forma presencial.

Segundo a secretária, apesar de vacina, o retorno de todos os alunos para a sala de aula juntos ainda está longe de ser uma realidade. “Em virtude da quantidade de alunos que nós temos por sala, que é um número significativo. Então não devemos atingir o 100% presencial este ano”, afirmou Fernandes.

Atualmente, a Reme tem, aproximadamente, 75 mil alunos no Ensino Fundamental, cerca de 30 mil na educação infantil, além de uma escola que atende o Ensino Médio.

O retorno, que será no dia 8, havia sido pensado, ainda no ano passado, para ocorrer de forma híbrida, com turmas escalonadas, divididas entre o presencial e o remoto. 

Entretanto, o agravo da doença na Capital fez com que os planos fossem alterados e as atividades remotas continuassem neste início de ano letivo que começa agora.

A mudança para o sistema híbrido ainda não tem previsão para que aconteça, segundo a secretária. “Estamos acompanhando a evolução dos casos com a Secretaria de Saúde, mas ainda não sabemos quando deve voltar a ter aulas presenciais”.

“Vamos continuar com o ensino como foi feito no ano passado, com as aulas 100% on-line, com ferramentas como o caderno de atividades, que terá a impressão unificada e distribuída nas escolas aos alunos, também pela TV Reme no canal 4.2 e na Rádio Reme pelo YouTube, além de outros aplicativos”, completou a secretária.

Ainda de acordo com Fernandes, as matrículas serão encerradas em março e, a partir deste mês, uma pesquisa será feita entre os pais dos estudantes para saber quantos têm a intenção de mandar os filhos para aulas presenciais.

RETORNO GRADUAL

Quando houver retorno das atividades presenciais, as primeiras turmas que voltarão de forma híbrida serão as do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental, além da única turma do Ensino Médio da Capital, na Escola Agrícola.

Logo depois, virão os alunos do 5º ao 1º ano do Ensino Fundamental e, por último, serão retomadas as atividades das Escolas Municipais de Ensino Infantil (Emeis).

“Conforme vai voltando e se ocorrer tudo bem, sem nenhuma intercorrência, a gente vai retornando as outras turmas, mas depende muito se a pandemia estiver controlada, porque em algumas cidades houve retorno e tiveram de fechar de novo. Então, vai depender do andamento nesse retorno”, explicou Fernandes.

REPROVAÇÕES

Segundo a secretária de Educação do município, em 2020 o ano letivo terminou com cerca de 1,5 mil alunos reprovados, isso porque eles não tiveram nenhum contato com as escolas durante o período das aulas.

“Não tiveram interação com a escola e não responderam às buscativas que fizemos. Perto dos 75 mil alunos do Fundamenta, é um porcentual baixo e todos foram encaminhados ao Conselho Tutelar, que nos ajudou nesse processo”, disse a titular da pasta.

Para Fernandes, a ajuda dos pais durante o ano letivo de 2020 também colaborou para o baixo número de alunos que não conseguiram seguir para o próximo ano. “Os pais nos auxiliaram muito e esperamos que este ano continue dessa forma”.

Na volta às aulas, os professores ainda farão uma avaliação diagnóstica para identificar quais alunos tiveram algum tipo de prejuízo no aprendizado do ano passado e quais pontos devem ser reforçados.

ESTADO

De acordo com a titular da Secretaria de Estado de Educação (SED), Maria Cecilia Amendola da Motta, as aulas na Rede Estadual de Ensino (REE), que terá início no dia 1º de março deste ano, devem ser iniciadas de forma remota, entretanto, ela salientou que ainda não está batido o martelo sobre esse retorno.

“Dia 1º de março, da maneira que for, estamos prontos. Se formos voltar com todo mundo presencialmente, estamos prontos, se formos fazer o híbrido, que estou achando o mais provável, 50% de uma turma em uma semana e 50% na outra, também estamos com material pedagógico pronto. E, se por ventura, em uma infelicidade, tivermos de parar totalmente, também a equipe da Secretaria e das escolas estarão prontas”, declarou ontem, em transmissão ao vivo da Pasta em suas redes sociais.