Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CAPITAL

Aumento de casos não impede reabertura de escolas particulares, diz prefeito

Marcos Trad apontou outros critérios que podem interferir na decisão final
15/06/2020 11:25 - Adriel Mattos


Na próxima semana, representantes da prefeitura de Campo Grande, de escolas particulares e do Ministério Público do Estado de Mato Grosso do Sul (MPMS) se reúnem para debater a reabertura das instituições, prevista para julho. Apesar do aumento do número de casos da Covid-19 (doença causada pelo novo coronavírus), esse não é um fator que impediria a medida.

“Não é o fator determinante o aumento por si só. É um ponto negativo e vai contar. Mas temos que olhar outros critérios”, frisou. Inicialmente, voltam para as escolas apenas alunos da chamada educação infantil, dos 6 meses até 7 anos. Os demais permanecem no ensino remoto, como noticiou o Correio do Estado no início do mês.

“É claro que nos preocupa esse aumento, mas temos que observar, por exemplo, a manutenção da taxa de ocupação dos leitos. Por enquanto, vamos aguardar”, finalizou.

Para determinar a reabertura, outras quatro situações serão consideradas: que não haja aumento no número de internações nos leitos de UTI da cidade por pacientes com Covid-19; vistoria completa nos planos de biossegurança de casa escola; vistoria completa do Ministério Público, Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), prefeitura e Câmara Municipal de todos os equipamentos de proteção das redes particulares e retorno gradual.

A Educação Infantil nas escolas particulares de Campo Grande perdeu aproximadamente dois mil alunos durante a pandemia.  Esse montante representa queda de 30% no número de alunos da rede particular, que contava com 7 mil estudantes de 6 meses a 7 anos de idade antes da pandemia.

As escolas particulares estão fechadas desde o dia 24 de março, data estabelecida pelo Governo do Estado em decreto que determinou a paralisação das aulas presenciais em toda a Rede Estadual de Ensino (REE) e também nas particulares de Mato Grosso do Sul.

 
 

Felpuda


Entre sussurros, nos bastidores políticos mais fechados, os comentários são que história apregoada por aí teria sido construída para encobrir o que realmente foi engendrado em conversa que resultou em negociata. 

O script foi na base do “você finge que é assim, e nós fingimos que acreditamos”. 

Batido o martelo, a encenação prosseguiu e, conforme o combinado, deverão ser apresentados novos episódios.

Ah, o poder!