Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CULTURA

Autocine exibirá "O menino da porteira" no próximo domingo

Sessões ficaram suspensas por dois fins de semana em razão ao semi-lockdown
30/07/2020 10:28 - Gabrielle Tavares


As exibições no Autocine vão voltar no próximo domingo (2), com sessão única do filme “O menino da porteira”, às 18h.

Os ingressos são limitados e serão distribuídos amanhã (31), a partir das 8h, na Praça dos Imigrantes, localizada na rua Rui Barbosa, 65, Centro.

No momento da entrega é necessário preencher um formulário com quantas pessoas estarão dentro do veículo no momento da exibição. Será distribuído apenas um ingresso por carro.  

Segundo a Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Sectur), responsável pela distribuição dos ingressos, não é permitido a entrada de pessoas sem máscaras dentro do local de exibição.

Além disso, o público deverá passar por uma barreira sanitária antes de entrar, com aferição de temperatura e orientações de biossegurança. É recomendado chegar com 30 minutos de antecedência.  

A reativação do Autocine foi uma iniciativa conjunta da UFMS, da Sectur e da Fundação de Cultura/Governo de Mato Grosso do Sul, contando ainda com o apoio da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos e do Sesc MS.

Sinopse

O drama foi inspirado na música sertaneja “O menino da porteira”, composta por Teddy Vieira e Luís Raimundo. Foi gravada pela primeira vez pela dupla sertaneja Luizinho e Limeira em 1955. 

O filme foi produzido em 2009, com o cantor Daniel, que regravou a música, no papel principal do peão Diogo.  

O longa-metragem se passa nos anos de 1950. O peão Diogo ao conduzir uma grande boiada até a Fazenda Ouro Fino conhece Rodrigo, interpretado por João Pedro de Carvalho, ao passar pelo sítio Remanso, no vilarejo Rio Bonito.  

O menino, que sonha em se tornar um boiadeiro, e o peão se tornam amigos. Ao conhecer a história dos moradores da região que sofriam com as injustiças do major Batista, interpretado por José de Abreu, Diogo decide defender a população do vilarejo.  

O major Batista é dono da Fazenda Ouro Fino e pai de Juliana, interpretada por Vanessa Giácomo, por quem Diogo é apaixonado. A direção do longa é de Jeremias Moreira Filho, que também é responsável pelo roteiro escrito com Carlos Nacimbeni.

 
 

Felpuda


Figurinha carimbada ganhou o apelido de “biruta”, instrumento que indica direção do vento e, por isso, muda constantemente. Dizem que a boa vontade até existente ficou no passado, e as reclamações são muitas, mas muitas mesmo, diante das decisões que vem tomando a cada mudança de humor do eleitorado. Como bem escreveu o poetinha Vinicius de Moraes: “Se foi pra desfazer, por que é que fez?”.