Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

TRANSPARÊNCIA

Auxílio emergencial: lista tem de filho de ex-secretário de MS até primeira-dama

Os nomes constam no Portal da Transparência do Governo Federal, que disponibilizou ferramentas para consulta e denúncias
22/06/2020 13:27 - Nyelder Rodrigues


Figuras conhecidas dos moradores de cidades do interior de Mato Grosso do Sul estão nas listas de recebimento do auxílio emergencial, divulgadas pelo Governo Federal. Os casos geram várias suspeitas da população e colocam os envolvidos em situações constrangedoras. Alguns desses nomes são parentes de políticos, com ou sem mandato.

Duas situações recentes chamam à atenção, em cidades vizinhas à Campo Grande: Terenos e Sidrolândia - onde houve até confusão do nome do filho com o do ex-prefeito e ex-secretário de Estado, Enelvo Felini, como recebedor dos R$ 600.  

Em Terenos, a primeira-dama Dirce Gonçalves, esposa do prefeito Dozinete Barraco (PMN), consta como uma das beneficiadas pelo programa que vai ajudar a população durante o período de pandemia. Ela se defendeu e afirmou que não sabia de tal situação.

"Não solicitei e nem usufrui do benefício do Governo Federal denominado auxílio emergencial", frisa Dirce em postagem feita em seu perfil no Facebook. "Fui surpreendida ao receber a notícia de que meu nome constava na lista de beneficiários. Diante disso, farei um boletim de ocorrência para identificar os possíveis golpistas", completa.

O prefeito Donizete Barraco, em contato com a reportagem do Correio do Estado, endossa a afirmação da esposa. "Ela nem conta na Caixa tem. Não sabemos nem como ter acesso a esse dinheiro e estamos vendo como podemos devolvê-lo. O nome de muita gente não precisa vem aparecendo. Pode ser um erro ou mesmo um golpe", destaca.

Sidrolândia: confusão entre nomes de pai e filho

Já em Sidrolândia, a situação foi diferente. Lá, consta o nome de Enelvo Iradi Felini Junior, filho do ex-prefeito e chefe da Funtrab até o começo deste mês, Enelvo Iradi Felini, como recebedor do auxílio de R$ 600. A semelhança entre os nomes gerou confusão entre os moradores, muitos acreditando que quem recebeu os valores foi o pai.

A reportagem entrou em contato com Enelvo, o pai, que confirmou ser seu filho na lista, justificando que isso aconteceu devido a atual situação financeira dele. "Ainda ajudo ele com algumas coisas, mas ele tem a vida dele", frisa, completando em seguida.

"Quem recebeu foi meu filho, que é produtor local de sementes de braquiária e está bem descapitalizado. Ele tem 37 anos e foi mexer com lavoura na Bahia, mas perdeu muito dinheiro e voltou para cá. A comunidade sabe a situação dele aqui e sabe que lavoura tem um ano ruim e outro bom", finaliza Enelvo.

Bataguassu: vice culpa a neta e adversários

Já em Bataguassu, cidade na divisa com o Estado de São Paulo, causou estranheza na população constar na lista de recebimento do auxílio emergencial dois nomes, o da esposa do vice-prefeito e ex-deputado estadual e federal, Akira Otsubo, e de sua filha. Para justificar a situação, Otsubo culpou a neta.

"Minha neta foi lá e inscreveu a avó e a mãe dela no auxílio. Minha esposa não tem celular, computador, conta em banco, nem sai de casa. Tão logo ficamos sabendo, descobrimos que quem fez foi minha neta e caiu na conta dela. Mas ela não usou nada, trouxe o dinheiro de volta, não usei, e já devolvemos tudo", explica.

Apesar do falha da neta, Akira diz que a divulgação, para ele feita de forma caluniosa do recebimento do auxílio por sua família, tem a ver com as eleições municipais por ora marcadas para esse ano. "Foi algo para me atingir. Sou pré-candidato a prefeito de Bataguassu e com certeza tem dedo de adversário político", finaliza.

O que Akira tem em comum com Donizete Barraco, prefeito de Terenos, na fala sobre o recebimento do auxílio emergencial é a indicação que, ao checar a lista, percebeu a presença de vários empresários e pessoas que, em tese, tem status social que aparenta não necessitar do auxílio. Contudo, nomes não foram citados.

Em outras cidades também houve polêmicas envolvendo políticos e familiares listados na lista, como em Bela Vista, onde o ex-prefeito Douglas Gomes confirmou à imprensa ter se inscrito por se enquadrar nos critérios, junto à sua filha e sua esposa.

Como consultar, denunciar e devolver?

A consulta pública da lista de beneficiários do auxílio emergencial pode ser feita pela internet, no Portal da Transparência do Governo Federal. A busca pode ser feita por tipo de benefício recebido, estado e município. Foram criadas formas de denunciar irregularidades e outros problemas.

Quem encontrar o próprio nome sem ter pedido do benefício pode registrar um boletim de ocorrência na Polícia Civil, se resguardando na situação, comunicando o problema também na plataforma Fala.BR. Neste mesmo local, também é possível fazer as denúncias sobre terceiros que estão de forma irregular na lista.

Já quem recebeu os R$ 600, ou mesmo o R$ 1,2 mil do programa de ajuda financeira à população durante o período de pandemia da covid-19, sem saber que estava na lista, pode fazer a devolução do dinheiro a partir do site criado especialmente para isso, o https://devolucaoauxilioemergencial.cidadania.gov.br/devolucao.

 

Felpuda


Ex-cabecinha coroada anda dizendo por aí ser o responsável por vários projetos para Campo Grande, executados posteriormente por sucessor. 

Ao fim de seus comentários, faz alerta para que o eleitor analise atentamente de como surgiram tais obras e arremata afirmando que não foi “como pó mágico de alguma boa fada madrinha. 

Houve muito suor nos corredores de Brasília”. Então, tá!...