Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

EDUCAÇÃO

Avaliação do programa Prosseguir adiou o retorno das aulas estaduais para 2021

Programa que avalia a evolução do coronavírus no Estado foi decisivo para a manutenção do ensino remoto nas escolas até o final do ano letivo
06/10/2020 08:30 - Ana Karla Flores


As aulas da Rede Estadual de Ensino (REE) continuarão de forma remota até o próximo ano. De acordo com a secretária de Educação de Mato Grosso do Sul, Maria Cecília da Mota, o decreto com a decisão será publicado no Diário Oficial desta terça-feira (6). A secretária de Educação explica que as aulas não serão suspensas e todas as atividades das escolas continuarão de forma remota. “As escolas continuarão abertas para plantão de dúvidas e reforço”, afirma.

De acordo com Maria Cecília, o adiamento do retorno das aulas presenciais foi recomendação do Programa de Saúde e Segurança da Economia (Prosseguir), criado pelo governo do Estado em parceria com a Organização Mundial da Saúde (OMS) para avaliar riscos e enviar recomendações do retorno ou relaxamento das medidas restritivas.

As aulas presenciais na Rede Estadual estão suspensas desde o dia 23 de março deste ano, quando foram confirmados os primeiros casos de coronavírus (Covid-19) no Estado. Durante esse período, diversas prorrogações foram feitas em virtude do crescimento de notificações da doença e da falta de leitos hospitalares em Mato Grosso do Sul. 

O último adiamento ocorreu em setembro, quando foi determinado o dia 8 de outubro como novo prazo estabelecido. As aulas presenciais de escolas particulares serão retomadas no dia 19 de outubro. No entanto, o secretário de Saúde do município, José Mauro de Castro Filho, explica que há uma grande diferença no número de estudantes das escolas públicas e das privadas, o que torna o retorno mais difícil.

A REE possui em todo o Estado 210 mil alunos e essa volta impactaria diretamente diversas áreas, como o transporte público, segundo maior ponto de contágio.  

A estrutura necessária para o retorno das aulas presenciais ainda está em processo de adequação. A compra dos equipamentos de proteção individual (EPIs) será feita de acordo com o número de alunos. As aulas da rede pública de ensino de Mato Grosso do Sul continuarão sendo transmitidas pela internet, pela televisão ou por meio de atividades impressas disponibilizadas nas instituições de ensino.

Terceiro Ano

Durante toda a discussão, a maior preocupação da Secretaria de Estado de Educação (SED) era o terceiro ano do Ensino Médio, em virtude da proximidade do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que ocorrerá em janeiro.  

A secretária de Educação relatou ao Correio do Estado que o governo de MS estudava uma forma para que esse grupo de alunos retornasse às aulas presenciais o mais breve possível, para minimizar os danos do ensino remoto durante o ano. Porém, com a proximidade do fim do ano letivo, o retorno não foi possível.  

Campo Grande

A Rede Municipal de Ensino (Reme) comporta 108 mil alunos entre Escola Municipais de Educação Infantil (Emeis) e Ensino Fundamental.

Campo Grande é o epicentro de contaminação da Covid-19 e foi o primeiro município a paralisar as aulas presenciais no Estado, no dia 18 de março.  

No caso da Capital, a Secretaria Municipal de Educação (Semed) também confirmou o adiamento das aulas presenciais e também montou um grupo para criar um plano de biossegurança para quando houver a volta das aulas presenciais na Reme. Ainda não há confirmação para o retorno nas escolas municipais.

 

 

Felpuda


Como era de se esperar, as pesquisas mexeram nos ânimos de candidatos, principalmente daqueles que apareceram com índices pífios.

E assim, muitos deles certamente darão novo rumo às suas campanhas eleitorais.

A maioria, é claro, tenta mostrar otimismo, e o que mais se ouve por aí é que “agora o momento será de virada”.

Como disse atento e irônico observador: “Tem gente por aí que poderá virar, sim. Mas virar gozação!”. Ui...