Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PANDEMIA

Azitromicina não é eficaz em pacientes com Covid-19 em estado grave, diz estudo

Conduzida por grupo brasileiro, pesquisa destacou que medicamento é mais recomendado para doenças causadas por bactérias, não vírus
05/09/2020 07:46 - Da Redação


Um estudo brasileiro publicado na sexta-feira (4) pela revista médica britânica The Lancet mostrou que adicionar o medicamento azitromicina com a hidroxicloroquina para tratar pacientes internados em estado grave pela Covid-19 é ineficaz.

Segundo a CNN Brasil, essa é a primeira pesquisa controlada no mundo para testar os efeitos do fármaco, que também não trouxe diferença significativa no tempo de internação dos pacientes.

O trabalho analisou 447 pacientes entre março e maio de 2020. O remédio foi ministrado em conjunto com a hidroxicloroquina em todos os indivíduos.  

“Nossas descobertas não apoiam o uso rotineiro da azitromicina em combinação com a hidroxicloroquina em pacientes com Covid-19 severa”, escreveram os membros do grupo brasileiro Coalizão Covid-19 Brasil.

 
 

Diretor do Instituto de pesquisa do Hospital do Coração (HCor) de São Paulo e um dos autores da pesquisa, Alexandre Biasi, detalhou os resultados.

“Não encontramos aumento de efeitos adversos, mas simplesmente não há efeito benéfico”, disse.  

“[A azitromicina] é um medicamento que age contra bactérias. Muitas das pneumonias, doenças infecciosas do pulmão são causadas por bactérias e é um excelente medicamento, extremamente útil. Mas com infecção viral, não há efeito benéfico algum”, explica.  

Biasi disse que não há dados suficientes para avaliar o efeito em pacientes que não foram hospitalizados, mas que não espera que tenha qualquer vantagem.  

“Temos evidência e a evidência é que não funciona, tanto a hidroxicloroquina e azitromicina”, afirmou.  

“É melhor avançar com respostas firmes e aos poucos, que a gente possa confiar, do que sair arriscando sem ter embasamento apropriado”, finaliza.

 

Felpuda


A lista do Tribunal de Contas de MS, com nomes de gestores que tiveram reprovados os balanços financeiros de quando exerceram cargos públicos, está deixando muitos candidatos de cabeça quente.  Conforme previsto pelo Diálogo, adversários estão se utilizando de tais dados para cobrar, principalmente nas redes sociais, deixando alguns gestores na maior saia justa e tendo que se explicar. O eleitor, por enquanto, só observa. E dê-lhe!