Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

TRÂNSITO

Bafômetro que detecta embriaguez à distância chega ao Estado

Aparelho consegue identificar presença do álcool pelo odor
29/06/2020 12:34 - Gabrielle Tavares


Três novos modelos de bafômetros, que detectam se o condutor está alcoolizado a distância, foram adquiridos pelo Detran-MS (Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso do Sul). Conhecido como ‘bafômetro passivo’, os aparelhos indicam a presença de álcool sem a necessidade do motorista soprar no aparelho.

Com duas funcionalidades (ativa e passiva) o aparelho precisa ser recarregado, assim como um celular. O modo passivo ocorre quando o álcool é identificado pelo odor, caso a presença de álcool seja detectada, o condutor é convidado a soprar o bocal do mesmo aparelho. O processo ativo identificará a quantidade de álcool no sangue.  

O chefe da fiscalização do Detran-MS, Otilio Ruben Ajala Junior, comentou que a aquisição é importante em razão a período de pandemia da Covid-19. “O aparelho realiza o teste apenas por proximidade e a partir de agora, o condutor não precisa mais descer do carro e nem encostar no bafômetro para a realização do teste. Isso dará mais segurança e agilidade nas operações”, finaliza.

Os novos aparelhos serão utilizados nas operações de fiscalização de rotina dos agentes de trânsito e nas operações de Lei Seca em apoio ao novo toque de recolher, realizadas em conjunto com os policiais do BPMtran (Batalhão de Polícia Militar de Trânsito).

De maio, quando as operações foram retomadas, até o momento, 728 pessoas foram presas por embriaguez no Estado, sendo 149 em Campo Grande.

 
 

Felpuda


Lideranças de alguns partidos estão fazendo esforço da-que-les para fechar chapa com o número exigido por lei de 30% do total de vagas para as mulheres. Uma dessas legendas, por exemplo, tenta mostrar a “felicidade” das suas pré-candidatas, mas teme o fracasso, tendo em vista que o “chefe maior” é aquele que já mandou mulheres calarem a boca e disse também que a importância da sua então esposa na campanha eleitoral era porque apenas “dormia com ele”. Ô louco!