Clique aqui e veja as últimas notícias!

ENTENDA

Baixa em casos de Covid-19 na África não está ligada à distribuição em massa de ivermectina

Informação, enganosa, foi publicada pelo presidente Jair Bolsonaro em uma publicação na internet
15/01/2021 19:08 - Da Redação


Autoria: Projeto Comprova

A baixa no número de casos da Covid-19 em alguns países africanos nada tem a ver com a distribuição de ivermectina no país, como tentou sugerir o presidente Jair Bolsonaro em uma de suas publicações no twitter.

Conforme apurou o Projeto Comprova, o medicamento vem sendo usado para o tratamento de doenças causadas por parasitas.

Ultimas Notícias

Se comparado a Europa ou às Américas, a África tem registrado números relativamente mais baixos de casos do novo Coronavírus, porém especialistas descartam qualquer relação com o uso de ivermectina.

O Programa Africano para Controle da Oncocercose (APOC, na sigla em inglês), de fato distribuiu milhões de doses de ivermectina para o tratamento da doença também conhecida como “cegueira do rio” em alguns países africanos, mas a iniciativa, mencionada na postagem do presidente, foi interrompida em 2015.

No ano seguinte, outro programa da Organização Mundial da Saúde (OMS), o Projeto Especial Expandido para Eliminação de Doenças Tropicais Negligenciadas, passou a distribuir a ivermectina e outros medicamentos para o combate a outras doenças comuns no continente e em outras partes do mundo.

Em 2019, ano anterior à pandemia da Covid-19, 152,9 milhões de pessoas receberam tratamento com ivermectina em países da África – em meio a uma população de mais de 1,3 bilhões de pessoas.

A droga, porém, não tem eficácia comprovada contra o novo Coronavírus. A própria OMS não recomenda a utilização do medicamento para o tratamento da infecção pelo Sars-CoV-2.

Desta forma, a Organização destaca que os resultados positivos no combate à pandemia, em alguns países da África, podem ser atribuídos às medidas de distanciamento físico e social e à ampliação da capacidade do sistema de saúde.

Outros fatores, como a experiência com epidemias, o fato da circulação de pessoas entre o continente e outras partes do mundo ser menor e a idade média mais baixa da população, também são apontados como possíveis influenciadores nos níveis da covid-19.

Além disto, já um fato não tão otimista, é que a aparente baixa de casos pode estar relacionada a subnotificação em alguns países.

Verificação

O primeiro passo da verificação foi checar os números da covid-19 no continente africano, especificamente nos países listados no tuíte do presidente. Para isto, foram utilizados dados disponibilizados pela própria Organização Mundial da Saúde.

Em seguida, o Projeto Comprova buscou reportagens e publicações científicas que tentam explicar o motivo para a incidência relativamente mais baixa da covid-19 na África.

Sobre a distribuição de ivermectina, foram consultados registros da OMS relativos ao Programa Africano para Controle de Oncocercose e ao Projeto Especial Expandido para Eliminação de Doenças Tropicais Negligenciadas.

Em boletins semanais, a Organização divulgou o número de comprimidos de ivermectina distribuídos globalmente e em países da África.

Em uma última etapa, buscou-se informações sobre a eficácia da ivermectina no tratamento da covid-19, consultando o posicionamento divulgado por órgãos como a OMS, a Anvisa e a FDA, além de entrevistas anteriores feitas pelo Projeto Comprova com diversos especialistas.

Lembrando que o Comprova fez esta verificação baseado em informações científicas e dados oficiais sobre o novo coronavírus e a covid-19 disponíveis no dia 13 de janeiro de 2021.