Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CLIMA

Apesar do baixo volume, chuvas são registradas em 21 municípios do Estado

Porém, elas contribuíram para amenizar os focos de incêndio no Pantanal e no Cerrado
20/09/2020 17:22 - Flávio Veras


Aquela chuva em grande volume e muito esperada por boa parte dos sul-mato-grossenses não veio neste final de de semana. Porém, apesar do baixo volume, 21, dos 79 municípios do estado, registram algum volume de chuva neste final de semana.  

Segundo o Centro de Monitoramento do Tempo e Clima de Mato Grosso do Sul (Cemtec), o nível pluviométrico passou dos 10 milímetros pois apenas cinco cidades chegaram perto dos dois dígitos.  

Os dados se referem aos acumulados de chuva desde às 00h de sábado (19), até às 14 de hoje (20). Ainda conforme o órgão, a previsão é de que chuvas significativas só ocorrem à partir do dia 27 deste mês, ou seja, apenas no início da próxima semana.  

Pantanal

Apesar do baixo volume, as chuvas ajudaram a conter os focos de calor no Pantanal e no Cerrado, que foram praticamente erradicados pela força-tarefa, que é composta de bombeiros de Mato Grosso do Sul, Paraná, Mato Grosso e Santa Catarina e ainda brigadistas do Ibama, ICMbio (Instituto Chico Mendes) e do setor privado, com o apoio da Marinha e do Exército.

No Pantanal, foram registrados apenas 22 focos neste domingo (20) em Corumbá, maior município do bioma, com redução de 50% em relação ao sábado, e um em Pedro Gomes. No início deste mês, Corumbá e a região de Cerrado (Alcinópolis, Pedro Gomes e Costa Rica, a Leste do Estado), concentravam mais de mil focos diários.

“Esperamos ainda neste domingo debelar o fogo no Parque Estadual das Nascentes do Taquari. Uma situação bem diferente de uma semana atrás, resultado da pronta ação do governo na estruturação da operação de combate aos incêndios e a chegada das chuvas”, explicou o secretário Jaime Verruck, da  Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro).  

Dados Estação Guia Clima  

Ivinhema: 2,0 mm  

Rio Brilhante: 10,7 mm  

Dourados: 17,5 mm.  

Dados Estações INMET  

Corumbá: 1 mm  

Miranda: 0.4 mm  

Costa Rica: 0.8 mm  

Cassilândia: 1.2 mm  

Paranaíba: 0.4 mm  

Ivinhema: 4.4 mm  

Rio Brilhante: 9.4 mm  

Amambai: 1.4 no dia 18 de setembro  

Ponta Porã: 1.6 mm (houve chuva dia 18 com 0,2 mm – Totalizando 1.8 mm/mês)  

Dados Estações Semagro  

Nova Alvorada do Sul: 7.4 mm  

Angélica: 8 mm  

Ribas do Rio Pardo: 0,2 mm  

Pedro Gomes: 0,2 mm  

Itaporã: 18.6 mm  

Laguna Caarapã: 9 mm  

Bonito: 23 mm  

Aral Moreira: 1.2 mm (houve chuva dia 18 com 3 mm – Totalizando 4,2 mm/mês)  

Dados Estações da ANA - Agência Nacional de Águas  

Porto Murtinho: 21 mm  

Ladário (Base Naval): 0.6 mm  

Cassilândia: 3.3 mm  

Costa Rica: 3.6 mm  

Chapadão do Sul: 0.8 mm  

Bonito – Estrada MT-738: 4.2 mm  

Corumbá – Porto Esperança: 0.2 mm  

Dados Estações do CEMANDEN  

Maracaju: 1.4 mm

 

 
 

Felpuda


Questão de família acabou descambando para o lado da política, e a confusão já é do conhecimento público. 

A queda de braço tem como foco a troca de apoio político que, de um, foi para outro. Sem contar as ameaças de denúncia da figura central do imbróglio. 

A continuar assim, há quem diga que nenhum dos dois candidatos a vereador envolvidos na história conseguirá ser eleito. Barraco é pouco!