Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

INCIDÊNCIA NO INTERIOR

Com avanço da pandemia no interior, Trad anuncia mudança na fiscalização

Barreiras sanitárias dão lugar a blitze para impedir a circulação de moradores de outras cidades
28/05/2020 13:05 - Gabrielle Tavares, Ricardo Campos Jr


Com o aumento dos casos do novo coronavírus (Covid-19) no interior de Mato Grosso do Sul, o prefeito de Campo Grande, Marcos Trad (PSD), demonstrou preocupação com o avanço da pandemia. Durante solenidade de posse de novos procuradores municipais, o chefe do Executivo disse que vai mudar a fiscalização nas entradas da Capital.

"A principal preocupação é a vinda desse contágio para a nossa cidade. Mas isso não é sinal de que estamos livres, por isso essas blitze repentinas e constantes que nós vamos fazer dentro da nossa cidade", explicou. Campo Grande teve mais três casos confirmados hoje e agora está com 265. 

Com os novos dados anunciados nesta quinta-feira, Guia Lopes conta 226 casos e continua com a maior incidência por 100 mil habitantes do Estado. Em segundo lugar está Douradina, com 29, e em terceiro Vicentina, com 17.  

Para impedir o aumento na Capital, foram criadas as barreiras sanitárias. Funcionaram por 48h, na terça e quarta-feira (26 e 27), em cinco entradas da cidade. Cerca de 15 mil pessoas foram paradas, mas nenhuma testou positivo para a doença.  

As barreiras funcionaram para mensurar os casos. A partir de agora vão agir em formato de blitz, ou seja, as barreiras serão instaladas nas entradas da cidade esporadicamente, sem aviso prévio.

 
 

Felpuda


Alguns pré-candidatos que estão de olho em uma cadeira de vereador vêm apostando apenas nas redes sociais, esperançosos na conquistados votos suficientes para se elegerem. A maioria pede apoio financeiro para continuar mantendo suas respectivas páginas, frisando que não aceita dinheiro público ou de político, fazendo com que alguns se lembrem daquela famosa marchinha de carnaval: “Ei, você aí, me dá um dinheiro aí, me dá um dinheiro aí...”. Como diria vovó: “Essa gente perdeu o rumo e o prumo”.