Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

TRANSPORTE COLETIVO

Vistorias contra o coronavírus começam nos terminais e ruas da Capital

Prefeitura vai fiscalizar condições de usuários do transporte coletivo nesta segunda-feira
31/05/2020 14:35 - Súzan Benites


Começam nesta segunda-feira (1°) as blitzes sanitárias realizadas pela Prefeitura Municipal de Campo Grande. Os primeiros locais que recebem as equipes são os terminais Morenão, Guaicurus e das Moreninhas, a partir das 5h30. Nos locais, os passageiros do transporte coletivo terão a temperatura corporal aferida e caso apresentem algum sintoma do novo coronavírus (Covid-19) serão encaminhadas ao serviço de saúde.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (Sesau), inicialmente as equipes fiscalizarão os terminais no período da manhã, entre 5h30 e 8h30, e no período vespertino o cruzamento entre a avenida Calógeras e a rua 15 de novembro, das 15h às 18h.

“Serão blitzes educativas, que vão aferir temperatura e caso a pessoa apresente ou relate algum sintoma, ela será orientada sobre a busca por atendimento. Ou através do teleconsulta pelo 2020-2170 ou no Polo de Atendimento no parque Ayrton Senna”, explicou a Sesau.

Ainda segundo informações da secretaria, a dinâmica de fiscalização vai se repetir durante toda a semana sem aviso. “Vai até sexta-feira (5), a mesma dinâmica, porém em locais diferentes”, informou a secretaria municipal.

BARREIRAS

As barreiras sanitárias instaladas nas entradas de Campo Grande duraram 48 horas na semana passada e retornam no dia 8 de junho, com duração de 15 dias, nos locais onde houve maior número de passageiros sintomáticos. Na manhã de quinta-feira (28), o prefeito Marcos Trad (PSD) afirmou que a fiscalização mudaria, com o fim das barreiras e início de blitze dentro da cidade, no entanto, durante a tarde, prefeitura anunciou uma “megaoperação”, com o retorno da fiscalização nas estradas, para conter a entrada de pessoas de outros estados ou do interior, onde há pico de casos, que possam estar contaminadas.

Conforme o Executivo Municipal, desta vez as barreiras serão realizadas em três, das cinco entradas da cidade, sendo nas saídas para São Paulo, Três Lagoas e Sidrolândia. Locais foram definidos após reunião de avaliação dos resultados dos dois dias de bloqueio feitos nesta semana. Pontos escolhidos apresentaram o maior número de sintomáticos e casos suspeitos da Covid-19, mas nenhum teve resultado positivo para a doença.

A operação envolve mais de 200 pessoas, com duração de 12 horas e, além do bloqueio nas rodovias, serão realizadas blitz em diversos pontos da região urbana da Capital.

Objetivo é orientar os motoristas que circulam de uma cidade para outra, além de realizar exames de coronavírus. Ao passar pelo local, o motorista será abordado por profissionais da saúde, que irão aferir a temperatura corporal, informar e orientar sobre a prevenção a Covid-19. Casos suspeitos farão o teste.

RESULTADO

Em dois dias, na terça e quarta-feira, mais de 9,2 mil veículos foram desinfetados e 16,3 mil pessoas abordadas nas barreiras sanitárias de Campo Grande. No total, 45 pessoas apresentavam sintomas gripais e 28 destes casos foram considerados suspeitos para a Covid. Todos os passageiros suspeitos de estarem contaminados foram submetidos a testes rápidos, e em nenhum dos casos o exame confirmou a suspeita.

Além da Capital, há outras 17 barreiras instaladas nas divisas e fronteiras de Mato Grosso do Sul pelo governo do Estado. Ao passar por uma dessas fronteiras, o motorista recebe um adesivo, sendo liberado pela barreira sanitária.

 

Felpuda


Conversas muito, mas muito reservadas mesmo tratam de possível mudança, e não pelo desejo do “inquilino”.

Por enquanto, e em razão de ser um assunto melindroso, os colóquios estão sendo com base em metáforas.

Até quando, não se sabe, pois o que hoje é considerado tabu poderá se tornar assunto em rodinhas de conversas.

Como dizia o célebre Barão de Itararé: “Há mais coisas no ar, além dos aviões de carreira”. Só!