Cidades
GUERRA

Bombardeio russo contra escola no leste da Ucrânia deixou 60 mortos, diz Zelenski

Incidente no vilarejo de Bilohorivka, no leste, pode estar entre os ataques mais mortais contra civis desde o começo da guerra

Estadão Conteúdo

08/05/2022 22:00

O presidente da Ucrânia, Volodmir Zelenski, afirmou neste domingo, 8, que o ataque aéreo russo a uma escola ucraniana que servia de abrigo antibombas para civis deixou ao menos 60 mortos O incidente no vilarejo de Bilohorivka, no leste, pode estar entre os ataques mais mortais contra civis na Ucrânia desde que a Rússia invadiu o país, em 24 de fevereiro.

Isso ocorreu quando as forças do presidente Vladimir Putin intensificaram seu esforço para consolidar território antes de 9 de maio, um feriado anual de pompa e circunstância na Rússia conhecido como Dia da Vitória.

No domingo, os sons dos confrontos ressoaram ao longo da estrada para Bilohorivka. Enquanto as forças ucranianas e russas trocavam mísseis e fogo de artilharia, os soldados pediram aos carros civis que recuassem.

Imagens de vídeo do que restava da escola mostraram bombeiros cavando os escombros enquanto pequenas chamas surgiam no local. Não ficou claro quantas pessoas estavam lá dentro e se havia soldados presentes na área no momento do ataque. Segundo Zelenski, todos os 60 mortos eram civis.

"Eles estavam tentando se abrigar em um prédio escolar comum que foi alvo de um bombardeio aéreo russo", acrescentou o presidente, durante sua intervenção na reunião do G-7, na qual os líderes se comprometerem a proibir ou eliminar gradualmente as importações de petróleo russo.

Serhiy Haidai, governador da região leste de Luhansk, onde fica Bilohorivka, disse mais cedo que havia 90 pessoas no porão e que apenas 30 foram resgatadas, e o restante provavelmente ainda estava sob os destroços.