Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

RODOVIA

BR-163 será relicitada e nova concessionária definida em dois anos

Diretor-presidente da CCR MSVia informou anteriormente que concessão se tornou insustentável
07/11/2019 21:07 - YARIMA MECCHI, COM ASSESSORIA


 

O ministro de Infraestrutura, Tarcíso Gomes de Freitas, disse ao governador Reinaldo Azambuja (PSDB), nesta quinta-feira (7), que a BR-163 deve ser relicitada e uma nova empresa deve assinar, em até dois anos, contrato para atuar na rodovia. 

De acordo com a assessoria de imprensa do senador Nelson Trad (PSD), durante reunião em Brasília com o ministro, o chefe do Executivo estadual e os parlamentares de Mato Grosso do Sul, Azambuja questionou Tarcíso sobre a situação da rodovia federal. 

Em audiência pública realizada no fim de outubro na Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso do Sul (ALEMS), o diretor-presidente da CCR MSVia, José Márcio Silveira, disse que a concessão da BR-163 se tornou insustentável, o que levou à interrupção da obras de duplicação e ao imbróglio da redução do preço da taxa de pedágio, que é de responsabilidade da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). 

“O interesse da CCR é buscar soluções e continuar prestando esse serviço”, defendeu Silveira.

Para sustentar a paralisação do serviço, Silveira e outros diretores da concessionária que administra a rodovia desde 2014 apresentaram o relatório financeiro da CCR, que de abril de 2014 a setembro deste ano, teve despesas de R$ 2,9 bilhões e receitas de R$ 1,2 bilhão. Essas receitas são provenientes da arrecadação do pedágio e das chamadas receitas acessórias.

Em dezembro de 2013, o governo federal leiloou nove lotes de rodovias para a iniciativa privada. Entre os vários que o grupo CCR venceu, estava o trecho sul-mato-grossense da BR-163. 

Felpuda


Prefeitura de município do interior de MS recebeu recomendação do Ministério Público do Estado no sentido de exonerar servidores comissionados, livres do cartão de ponto, que são parentes de secretários da administração e de vereadores. O nepotismo se tornou um excelente “negócio” por lá, e se até o dia 6 de agosto as devidas providências não forem tomadas, medidas serão adotadas, como ação por improbidade administrativa. Tem gente que não aprende mesmo, né?