Cidades

Cidades

Brasil é o quinto país em novo Índice de Riqueza Inclusiva, criado pela ONU

Brasil é o quinto país em novo Índice de Riqueza Inclusiva, criado pela ONU

Continue lendo...

O Brasil aparece em quinto lugar no crescimento per capita entre 20 países analisados por um novo "Índice de Riqueza Inclusiva (IRI)", lançado neste domingo, que busca suprir as deficiências de dois outros índices já existentes, o PIB (Produto Interno Bruto) e o IDH (Índice de Desenvolvimento Humano). A apresentação foi feita este domingo, na Rio+20.

Para o programa, o PIB e o IDH são falhos porque medem a economia dos países e não incluem informações sobre o meio ambiente e se as políticas nacionais são sustentáveis ao longo do tempo. "Nem o PIB nem o IDH refletem de nenhuma maneira o estado de conservação da natureza ou dá indicações se os níveis de bem-estar são sustentáveis", afirma a pesquisa.

Já o IRI oferece, diz a ONU, uma "análise mais abrangente dos vários componentes de riqueza de um país, avaliando mudanças em capital humano, produzido e natual ao longo do tempo e apresenta uma perspectiva no bem-estar humano e na sustentabilidade".

No ranking do IRI elaborado com base na performance anual entre 1990 e 2008, o Brasil aparece empatado na quinta posição com Índia, Japão, Reino Unido. Seis dos 20 países avaliados tiveram crescimento negativo no IRI - Colômbia, Nigéria, Rússia, Arábia Saudita, África do Sul e Venezuela. O principal motivo foi crescimento populacional, com a exceção da Rússia.

Dos 20 países - que representam 56% da população e 72% do PIB mundial - 19 tiveram queda no capital natural, ou seja, destruíram a natureza mais do que compensaram essa destruição. O Japão, que aumentou sua cobertura de florestas, foi a exceção. Para 13 dos demais países, essa diminuição não correspondeu exatamente a uma queda no índice

Embora, entre os países medidos no PIB per capita, o Brasil fique na metade final (11a posição, com 1,6% de crescimento médio), no IRI o País salta para a quinta, com 0,9%.

As mudanças na riqueza inclusiva do Brasil se deveram principalmente pelo rápido crescimento em capital humano, em 48%, o que compensou a considerável perda de 25% do capital natural. Essa perda se deu principalmente pelo desmatamento de florestas (66% dessa perda), além de uso de áreas para agricultura e o uso de combuistíveis fósseis.

Nesse período de 20 anos, apesar de os recursos naturais terem caído 25%, o capital humano elevou-se em 48% e o PIB brasileiro cresceu 34%, o que fez o IRI ser positivo.

GRIPE

Com morte de bebê de 6 meses, número de vítimas por gripe, chega a 27 em MS

Bebê do sexo feminino, faleceu no último dia 15 no município de Bataguassu

26/05/2024 16h00

Com morte de bebê de 6 meses, número de vítimas chega a 27 em MS

Com morte de bebê de 6 meses, número de vítimas chega a 27 em MS Divulgação: Prefeitura de Campo Grande

Continue Lendo...

Dados divulgados pelo Boletim Epidemiológico Influenza da Secretaria de Estado de Saúde (SES) da 19° semana epidemiológica em Mato Grosso do Sul, apontam que mais quatro pessoas faleceram vítimas de gripe (Influenza), entre os dias 12 a 21 de maio de 2024.

De acordo com as informações, um bebê prematuro de 6 meses do sexo feminino, faleceu vítima de Influenza A não subtipado no município de Bataguassu. As outras vítimas eram de Campo Grande, entre elas duas mulheres (H1N1 e H3N2) e um homem (H3N3), de 75, 60 e 92 anos respectivamente. O último caso é do município de Ribas do Rio Pardo, um homem de 92 anos também.

Com isso, o Estado totaliza 27 mortes em 2024. Desse número 6 foram vítimas de H1N1, 17 de H3N2, 4 não subtipados. Ao todo são 2946 casos notificados de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), 326 confirmados para Influenza tipo A.

No dia 30 de abril, a Sesau decretou situação de emergência por conta do aumento de casos de síndrome respiratória que acarretou superlotação nas Upas e Hospitais da Capital.

Prevenção

A gripe por influenza A pode ser prevenida através da vacinação. Os imunizantes disponibilizados pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI) são compostos a partir de RDC da Anvisa, que avalia as cepas em circulação dos tipos A e B da influenza nas temporadas de circulação do vírus.

Outras medidas não-farmacológicas colaboram para a não infecção, como lavar as mãos com frequência, utilizar máscaras e priorizar ambientes com circulação do ar.

Já em 1º de maio, a pasta anunciou que a vacina seria ampliada para toda a população - com mais de 6 meses de vida. Desde então, a vacina está sendo oferecida nas unidades de saúde de Campo Grande. A dose protege contra três tipos de vírus influenza: A H1N1 e H3N2; e influenza B linhagem Victoria.

A relação de unidades, endereços e horários para vacinação podem ser consultadas no site da Sesau (confira aqui).

Quem deve se vacinar contra gripe?

  • Crianças de 6 meses a menores de 6 anos
  • Pessoas de 60 e mais
  • Gestantes
  • Puérperas
  • Indígenas vivendo fora de terra indígena
  • Indígenas vivendo em terra indígena
  • Trabalhadores de saúde
  • Pessoas com deficiência permanente (a partir de 12 anos)
  • Adolescentes em medidas socioeducativas (menores de 18 anos)
  • População privada de liberdade (18 anos e mais)
  • Funcionário do sistema de privação de liberdade
  • Comorbidades
  • Professores
  • Pessoas em situação de rua
  • Forças de segurança e salvamento
  • Caminhoneiros
  • Trabalhadores de transporte coletivo rodoviário passageiros urbano e de longo curso
  • Trabalhadores portuários


As vacinas contra a influenza são trivalentes, produzidas pelo Instituto Butantan e distribuídas para toda a rede pública de saúde. A composição varia anualmente conforme as cepas do vírus predominantes.

Neste ano, as vacinas possuem três tipos de cepas de vírus combinadas: A (H1N1); A (H3N2) e B (linhagem B/Victoria), conforme orientação da Organização Mundial da Saúde (OMS).

EDUCAÇÃO

ENEM: Estudantes podem se inscrever a partir de amanhã (27)

Prazo para inscrição vai de 27 de maio a 12 de junho

26/05/2024 14h30

Inscrições começam nesta segunda-feira (27)

Inscrições começam nesta segunda-feira (27) Marcelo Victor

Continue Lendo...

Estudantes do Brasil todo devem estar atentos ao período de inscrição para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2024 que começa amanhã (27) e segue até 7 de junho.

A inscrição é feita através da Página do Participante do Enem, com CPF do estudante e senha do portal do governo federal Gov.br. A taxa de inscrição deve ser paga do dia 27 de maio até dia 12 de junho.

O valor da taxa continua em R$ 85, pagável por boleto (gerado na Página do Participante), Pix, cartão de crédito, débito em conta corrente ou poupança (a depender do banco).

O resultado das solicitações de isenção da taxa foi divulgado pelo Inep em 13 de maio. A aprovação da isenção não significa que a inscrição foi realizada automaticamente. É necessário que o interessado se inscreva para participar do exame.

No momento da inscrição, o participante deverá escolher o idioma da prova de língua estrangeira (inglês ou espanhol). 

Treineiro

Podem participar do Enem na condição de treineiro os estudantes que vão concluir o ensino médio após o ano letivo de 2024 ou os interessados em fazer o exame que não estejam cursando e não concluíram o ensino médio.

O candidato, no entanto, deve estar ciente de que sua participação servirá somente para autoavaliação de conhecimentos.

Os resultados individuais do treineiro não poderão ser usados para acesso ao ensino superior e serão divulgados 60 dias após a divulgação geral dos demais candidatos.

Informações

Para mais informações sobre o exame e o processo de inscrição, acesse o edital do Enem 2024 ou o site oficial do Inep.

Confira abaixo as matérias que cada domingo terá e os horários:

1º domingo: 3 de novembro

  • 45 questões de linguagens (40 de língua portuguesa e 5 de inglês ou espanhol);
  • 45 questões de ciências humanas;
  • redação.

2º domingo: 10 de novembro

  • 45 questões de matemática;
  • 45 questões de ciências da natureza.


Veja os horários de aplicação (no fuso de Brasília):

  • Abertura dos portões: 12h
  • Fechamento dos portões: 13h
  • Início das provas: 13h30
  • Término das provas no 1º dia: 19h
  • Término das provas no 2º dia: 18h30

Enem 2024

Criado em 1998, o Enem avalia o desempenho escolar dos estudantes ao término da educação básica, ou seja, no fim do ensino médio.

O exame se tornou a principal porta de entrada para a educação superior no Brasil, por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e de iniciativas como o Programa Universidade para Todos (Prouni), que concede bolsas de estudo integrais e parciais em cursos de graduação e sequenciais de formação específica.

As instituições privadas de ensino superior também usam as notas do Enem para selecionar estudantes. Os resultados ainda servem de parâmetro para acesso a auxílios governamentais, como o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

Os resultados individuais do Enem também podem ser aproveitados nos processos seletivos de instituições portuguesas que têm convênio com o Inep. Os acordos garantem acesso facilitado às notas dos estudantes brasileiros interessados em cursar a educação superior em Portugal.

NEWSLETTER

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo.

Fique Ligado

Para evitar que a nossa resposta seja recebida como SPAM, adicione endereço de

e-mail [email protected] na lista de remetentes confiáveis do seu e-mail (whitelist).