Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

COVID-19

Brasil registra 165 novas mortes por coronavírus nas últimas 24 horas

Número de mortes de pessoas infectadas pelo novo coronavírus chegou a 2.906
22/04/2020 15:34 - Agência Brasil


O Brasil registrou nesta quarta-feira, 22, 165 novas mortes provocadas pelo novo coronavírus e 2.678 novos casos da doença nas últimas 24 horas, segundo informações do Ministério da Saúde A taxa de letalidade está em 6,4%.

Com isso, em todo o País, o número de mortes de pessoas infectadas pelo novo coronavírus chegou a 2.906, com um total de 45.757 casos confirmados. Até terça-feira, o número total era de 2.741 vítimas fatais e 43.079 casos confirmados.

Embora previsões do Ministério da Saúde indiquem que o mês de maio será a pior fase da doença no país, ao menos sete Estados - Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Goiás, Espírito Santo, Paraíba, Sergipe e Tocantins - e o Distrito Federal já afrouxaram desde a semana passada o isolamento social, imposto para conter o avanço do novo coronavírus.

Além desses, outros Estados já planejam a reabertura gradual da economia após a quarentena. No Rio, o governador Wilson Witzel (PSC) debate amanhã possível flexibilização. No início do mês, ele havia retirado restrições para 30 cidades que não registravam casos.

Em São Paulo, o governador João Doria (PSDB) anunciou hoje, durante coletiva de imprensa, a reabertura gradual da economia em algumas cidades do Estado, sob o "Plano São Paulo", a partir do próximo dia 11, mas afirmou que a quarentena em vigor no Estado poderá ser prorrogada para depois dessa data.

"Não estamos dizendo que vamos deixar de ter quarentena depois de 10 de maio. Teremos o Plano São Paulo, que vai estabelecer áreas, setores, que poderão ser distendidos, e outros não. É bom deixar claro que não estamos dizendo aqui que depois de 10 de maio não teremos quarentena", afirmou Doria.

Felpuda


Mesmo sem ter, até onde se sabe, combinado com o eleitor, candidato a prefeito começou a apresentar nomes do seu ainda hipotético secretariado, pois parece estar convicto de que conseguirá vencer a disputa.

Os adversários dizem por aí que ele está muito distante de “ser um Jair Bolsonaro”, que, ainda na campanha eleitoral para presidente da República, já falava em Paulo Guedes para ser seu ministro de Economia. Como sonhar é permitido